EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

PESQUISANDO SOBRE CADEIRAS PARA CALL CENTER…

Trouxemos esta resposta de nosso engenheiro a uma pergunta formulada por um cliente pois acreditamos que será de grande utilidade para muitos leitores.

Tiramos o nome e o e-mail e estamos a disposição para discussões.

Essa é a nossa forma de crescermos todos juntos!

Coordenação técnica BraS GoleN

PERGUNTA
XXXXXXXX XXXXXXXXXX
xxxxxxx@bol.com.br
Pesquisando sobre cadeiras para Call center e lendo as informações acima, fiquei com dúvidas se esta norma atende aos padrões que busco. Preciso de cadeiras para serem utilizadas por pessoas em turnos rotativos. As cadeiras necessitam de resistência para até 24 horas diárias. Como vocês descrevem no texto, “Os padrões adotados pela norma baseiam-se em um uso de 8h ao dia por pessoas com peso até 110 Kg, com altura entre 1,51m e 1,92m e que é denominada : Cadeira giratória operacional”. Tenho que basear minha busca com especificações de outra norma?

RESPOSTA:

Caro XXXXXXXX
Grato por ter entrado em contato conosco.
Sua pergunta é muito boa e certamente minha resposta dará um artigo para discussões futuras.

Vou tentar responder baseado na minha experiencia de anos analisando e me deparando com problemas similares ( não de call center )

Por exemplo, ontem um Síndico de um grande condomínio em S Paulo me pediu um parecer sobre cadeiras para a recepção de um condomínio super movimentado, 24 horas, onde os usuários variam de altura de 1,60 m à 1,98 m e peso de 60 kg á 190 kg. Ele quer uma cadeira que obedeça à Norma ABNT. NR 17 e alem disso quer que a NR 17 seja obedecida para o posto de trabalho.

Ora aqui já começa o problema. Uma cadeira pode obedecer a ABNT e à NR 17 , porem ela talvez não atenda à NR 17 para a atividade e para o usuário. Por isso a AET obrigatória para a análise de cada posto de trabalho e agora com o e social esta análise deverá ser feita para cada posto para cada usuário. Um posto pode ser aceito e ter uma receita para um usuário A e não seja aceito para o mesmo posto para um usuário B. Veja que será baseado nessa AET que o PPRA será feito e que o médico do trabalho assinará a admissão daquele empregado para aquele posto pelo PCMSO. ( Um exemplo que não tem nada a ver com ergonomia,   ;V admitiria um especialista em provar doces a um diabético? ( Há dois meses fizemos uma AET em uma fábrica de doces e na entrevista com o médico este exemplo foi mencionado).
Assim eu não vou admitir um funcionário ou pelo menos vou estudar a sua entrada para um posto que exige esforço físico a um raquítico, franzino. E por ai vai.

A NR 17 no Brasil seguiu parâmetros internacionais ( uma exceção, pois no Brasil querem fazer Leis para tudo ) e deixou para o especialista, para o profissional habilitado a sugerir, especificar, descrever os assentos, mesas, apoios etc para aquela função. Há postos ( e eu vejo isso quase todos os dias ) que não há assento para uma determinada função. E como faz ? A NR 17 sugere, exige que sejam investigados e adotados meios para mitigar os esforços e tensões musculares etc etc. Talvez como eru não tenha uma cadeira ou banco para tal função eu preciso limitar medidas antropométricas do individuo, talvez eu necessite limitar a duração sem pausas, fixar pausas, adotar grupos de exercícios físicos (prescritos pelo fisioterapeuta que à luz da AET irá esc olhe-los, suas frequências etc e dar a um educador físico a sua realização. Exercícios, ginásticas devem ser feitas e adotadas para grupos de associados analisados e não generalizados.

Bom, mas vamos ao centro de sua pergunta: Como e como adotar como especificar, como pedir uma norma, para escolher uma cadeira que atenda à NR 17, e agora já discutimos, que atenda aquele posto e aquele usuário, para durar , pois v ou ter uma atividade 24 horas em um Call Center complicado, local difícil, talvez com alguma poeira … E se V tiver pessoas obesas, altas? I( outro dia me pediram uma cadeira para Call Center para um obeso de 150 kg, mas não podia ser algo muito diferente para evitar bullying).

A resposta será, Depende: 

Vai depender do posto, da AET para aquele ou aqueles usuários ( V já pensou em um Call Certer para anões? Dá para fazer ? ) escolher as alturas e medidas mínimas da Norma ( no Caso o Anexo II da NR 17 ) mas veja bem com a AET na mão e depois verificar se vale a pena superar a Norma ( por exemplo eu sugiro sempre que se adote nas cadeiras alem da regulagem de altura dos assentos e do espaldar , a inclinação do espaldar com mecanismo que facilite a sua regulagem. )
Quanto a durabilidade, peça uma cadeira que seja reforçada, para aguentar três turnos, com rodízios especiais ( rodízios sem rodetes revestidos de poliuretano alem de riscar o piso logo logo perdem sua facilidade de deslizamento, obrigando o usuário a fazer um esforço adicional ao movimentar a cadeira para sua comodidade. E tem mais: Eu sugiro sempre: Treinamento; Treinar o pessoal a mudar de posição com frequência, a se esticar com frequência, a tomar água ( veja a nossa Ginástica do Gato) , a se prevenir nos ônibus, etc etc preservando sua saúde SEMPRE , pois ele assim vai errar menos, vai aumentar a sua produtividade e quem vai ganhar, alem dele, é a Empresa. Aprendi isso há 30 anos nos EUA quando estudava ergonomia.

Mas como pedir uma cadeira reforçada. peça um Laudo agora de engenharia mecânica , veja quem assina ( no Brasil há gente que assina que nem sabe o que assinou ) sem CV etc.
Não precisa de uma NORMA específica para detalhes alem daqueles que o legislador escolheu e adotou baseado nas estatísticas e dados de desvio padrão na curva de Gauss.
Fora da curva quem vai escolher é o cliente, o empresário baseado em dados gerados por especialistas, no caso a AET que se for feita por gente competente vai considerar a frequência, os turnos, as medidas antropométricas e o histórico médico pelo PCMSO. Nós quando vamos fazer uma AET pedimos tudo ( inclusive entrevista com o Médico, Fisio se tem programa de ginástica laboral, manutenção e compras para saber se as bancadas, mesas, cadeiras quebram com facilidade ) para, então, começar a AET.

Espero ter dados para um futuro debate. Só com o debate das ideias, das perguntas, podemos melhorar e buscar a excelência. Somos eternos aprendizes.

Á sua disposição!

Você tem um Call Center ? V trabalha nisso ? É consultor? Empresário ? Está em que região?

Conheça nossos dois sites  www.mundoergonomia.com.br  e  www.cmqv.org

Nós projetamos, construímos, montamos Call Centers e ainda damos o Treinamento obrigatório do Anexo II da NR 17, alem de fazer AETs . E depois da AET depende do cliente entramos com as reformas, correções, exercícios físicos. etc , pois temos engenheiros de processo, farmacêuticos, arquitetos, fisioterapeutas, educadores físicos, especialistas em alimentos, áreas limpas, nuclear etc, se a empresa precisa

Anexo alguns artigos que estão no SITE da CMQV

Abraços

Osny Telles Orselli

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PRODUTOS