QUEM SOMOS

A BraSGoldeN  é a marca oficial da All Safety Ergonomics – MUNDOERGONOMIA uma empresa de engenharia e medicina formada por uma equipe multidisciplinar de profissionais altamente capacitados, habilitados e experiente na gestão dos riscos e cumprimento legal nos setores: ergonômicos, sanitários, ambientais, ocupacionais e legais.

Inicialmente, a BraSGoldeN teve seu foco no fornecimento de produtos e serviços voltado unicamente ás questões Ergonômicas.

Posteriormente, a ampliação dos serviços da BraSGoldeN se deu pela necessidade dos clientes no tocante ao cumprimento de exigências legais, exigências governamentais, exigência de agências reguladoras e outros, além do seu foco inicial voltado á Ergonomia. Houve a incorporação  da All Safety Ergonomics, Mundoergonomia e de outras empresas especializadas nos diversos setores sempre com o foco no cumprimento legal e prevenção. 

Por conta da alta confiabilidade, conhecimento e experiência da equipe  frente aos setores sanitário, ambiental. ocupacional e ergonômico, o grupo começou a atuar de forma integrada. Dessa forma, a BraSGolden, pioneira na gestão dos Riscos Ergonômicos ampliou os serviços de sua plataforma se tornando pioneira na Gestão Integrada dos Riscos.

O diferencial na gestão integrada dos riscos oferecida pela BraSGolden Serviços se traduz em uma SEGURANÇA SEGURA para seus clientes.

MISSÃO, VISÃO E VALORES

Missão – Aumentar a segurança de nossos clientes por meio de soluções conscientes e inovadoras para o atendimento e cumprimento legal em Ergonomia e EHS

Visão – Ser referência nacional em soluções Ergonômicas e EHS – produtos e serviços para a real melhoria da qualidade de vida

Valores -Ética – Conhecimento – Comprometimento

NOSSA POLÍTICA DA QUALIDADE

Desenvolver soluções científicas,  tecnológicas e legais comprometendo-se a orientar para que sejam atendidos os requisitos aplicáveis, bem como melhorar continuamente seus produtos, processos e o Sistema de Gestão da Qualidade.

LINHA DO TEMPO

A história de como surgiu a BraSGoldeN

O engenheiro Osny nos deu a seguinte entrevista

Osny engenheiro e administrador fez carreira em multinacional e trabalhou no Brasil e Exterior chegando a um dos seus principais executivos.Ao deixar a empresa por querer alcanças outros vôos com seu negócio próprio, foi para os EUA onde tinha muitos amigos e contatos. Osny já tinha a idéia de fazer consultoria, de compartilhar os seus conhecimentos. Cerca de 3 anos após sua formatura na Politécnica de S Paulo montou uma empresa junto com seu colega Eng. Sergio M Sztamfater, da mesma escola a CONCILUM Consultores Associados cujo CNPJ foi o mesmo quando montou a Bras Golden.   

Em meados de 1990, um amigo seu, médico ortopedista, um dos maiores especialistas em coluna vertebral, casado com médica também ortopédica, ambos colegas da USP foi aos EUA e pediu ajuda para encontrar alguns produtos e empresas. Lá viram trabalhadores manuseando cargas em sua expedição e o que chamou a atenção do médico era a postura e como abraçavam a carga e todos usando cintos abdominais lombares (nos EUA Back Supports).

“Você deveria trazer esse produto ao Brasil, pois lá não há. Muito bons”

EMPRESA RESPONSAVEL

EHS – Environmental, Health and Safety – SSMA – Saúde Segurança e Meio Ambiente

Visando implantar ações voltadas a sustentabilidade de nosso planeta, a ações com foco na logística reversa de nossos produtos, ações com foco igualdade de direitos e a qualidade de vida de nossos colaboradores, em 03-12-2014 foi criado o departamento de EHS da BraSGoldeN. Essa data foi escolhida como um grande alerta em homenagem ao Desastre de Bhopal que matou milhares de indianos por conta de falta de controle da empresa. Foi um desastre industrial (o maior do mundo) que ocorreu na madrugada de 3 de dezembro de 1984, quando 40 toneladas de gases tóxicos vazaram na fábrica de pesticidas da empresa norte-americana Union Carbide. É considerado o pior desastre industrial ocorrido até hoje no mundo, quando mais de 500 mil pessoas, a sua maioria trabalhadores, foram expostas aos gases O EHS – Meio Ambiente, Saúde e Segurança ( EHS ) é um departamento, também chamado de SHE ou HSE departamento, são entidades comumente encontrados dentro das empresas que consideram a proteção do ambiente, saúde ocupacional e segurança no trabalho tão importante quanto fornecer produtos de qualidade, e que, portanto, têm gerentes e departamentos responsáveis ​​pela estas questões.

O EHS é um setor que está atrelado ás exigências do Ministério da Saúde – ANVISA, Ministério do Meio Ambiente e Ministério do Trabalho. Explicando o departamento: Dependendo das atividades das empresas, deverão seguir as diretrizes do Ministério da Saúde através das RDC (ANVISA), as diretrizes do Ministério do Meio Ambiente através das Resoluções do CONAMA e as diretrizes do Ministério do Trabalho através do cumprimento as Normas Regulamentadoras – NRs. O objetivo desse departamento é conduzir o atendimento a metas de sustentabilidade, saúde e segurança do trabalho nas empresas além de trazer ações que visam a sustentabilidade do nosso planeta. Relativo ao Ministério do Trabalho, todos os direcionamentos estão pautados nas Normas Regulamentadoras – NRs. Atualmente temos 36 NRs.

Isso é o que chamamos de OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS As Normas Regulamentadoras (NRs) que estão na Legislação de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional no Brasil, foram criadas com o objetivo de proteger a saúde do trabalhador, passando continuamente por revisões, com a finalidade de torná-las mais sólidas, de acordo com as leis e com os direitos trabalhistas. O cumprimento da Legislação de Segurança do Trabalho que define as Normas Regulamentadoras (NRs), em vigência no Brasil, é de observância obrigatória para todas as empresas e devem ser cumpridas pelos setores privados e públicos. A observância das Normas Regulamentadoras – NRs, não desobriga as empresas do cumprimento de outras disposições que estejam incluídas em códigos de obras ou regulamentos sanitários dos Estados ou Municípios, e outras, oriundas de convenções e acordos coletivos de trabalho Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho NR1 – Disposições Gerais:(em nova consulta publica) NR2 – Inspeção Prévia NR3 – Embargo ou Interdição: NR4 – Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho: Estabelece a obrigatoriedade das empresas públicas e privadas, que possuam empregados regidos pela CLT, de organizarem e manterem em funcionamento, o SESMT – Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho – Essa norma estabelece o quadro de dimensionamento desse SESMT de acordo com as características da empresa, grau de risco, número de funcionários, etc NR5 – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA: Estabelece a obrigatoriedade das empresas públicas e privadas organizarem e manterem em funcionamento, por estabelecimento, uma comissão constituída exclusivamente por empregados com o objetivo de prevenir infortúnios laborais, através da apresentação de sugestões e recomendações ao empregador para que melhore as condições de trabalho, eliminando as possíveis causas de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais.

Determina como dever ser o domensionamento da CIPA de acordo com as características da empresa NR6 – Equipamentos de Proteção Individual – EPI NR7 – Programas de Controle Médico de Saúde Ocupacional: Estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO, com o objetivo de promoção e preservação da saúde do conjunto dos seus trabalhadores. Environmental, health and safety (EHS) departments, also called SHE or HSE departments, are entities commonly found within companies that consider environmental protection, occupational health and safety at work as important as providing quality products, and which therefore have managers and departments responsible for these issues. EHS management has two general objectives: prevention of incidents or accidents that might result from abnormal operating conditions on the one hand and reduction of adverse effects that result from normal operating conditions on the other hand. EHS ( Environment , Health and Safety ) is a sector that is tied to the demands of the Ministry of Health – ANVISA , Ministry of Environment and Ministry of Labour . Depending on the activities of the companies , should follow the guidelines of the Ministry of Health through the DRC ( ANVISA ) , the guidelines of the Ministry of Environment through CONAMA Resolutions and directives of the Ministry of Labour through compliance with the Regulatory Standards – NRs .

The goal of this process is to drive attendance to sustainability targets , health and safety in enterprises. Relating to the Ministry of Labour, all directions are graded in Regulatory Standards – NRs . Currently we have 36 NRs This is what we call LABOR OBLIGATIONS – The Regulatory Standards ( NRs ) that are in the Law of Work Safety and Occupational Health in Brazil , were created with the goal of protecting worker health , continually undergoing revisions , in order to make them stronger , according to laws and labor rights . Compliance with the Occupational Safety Legislation defining the Regulatory Standards ( NRs ) , in force in Brazil , is the mandatory compliance for all companies and should be met by private and public sectors . Compliance with Regulatory Standards – NRs , does not exempt companies from compliance with other provisions that are included in building codes and health regulations of the states or municipalities , and others, arising from agreements and collective bargaining agreements Regarding your question , the legislation is guided exactly is labor and , in the case , specifically NR4 that determines what we call ” security framework ” of your company . Below are some NRs NR1 – General Provisions : NR2 – Preview Inspection : NR3 – Embargo or interdiction : NR4 – Specialized Services in Safety Engineering and Occupational Medicine : Establishes the obligation of public and private companies that have employees covered by the Labor Code , to organize and maintain in operation the SESMT – Specialized Services in Safety Engineering and Occupational Medicine – This standard establishes the framework for scaling this SESMT according the company characteristics , degree of risk , number of employees , etc. NR5 – Internal Commission for Accident Prevention – CIPA Makes it mandatory for public and private companies to organize and keep in operation by establishing a committee consisting solely of employees in order to prevent labor woes , by submitting suggestions and recommendations to the employer to improve working conditions by eliminating possible causes of work accidents and occupational diseases .

Determines how should be the dimensionamento CIPA according to the characteristics of the company NR6 – Personal Protective Equipment – PPE NR7 – Programs for Medical Control of Occupational Health : Establishes mandatory drafting and implementation by all employers and institutions that admit workers as employees of the Medical Control of Occupational Health – PCMSO , with the goal of promoting and preserving the health of all its employees.

presentação resumida do responsável técnico da BraSGoldeN

Engenheiro – Osny Telles Orselli
• Engenheiro Mecânico – Escola Politécnica  – USP – SP
• Engenheiro de  Segurança do Trabalho – Escola de Engenharia Mackenzie – SP
• Pós Graduação em Administração de Empresas – Fundação Getúlio Vargas – SP
• Especialização em Engenharia de Produção – Fundação Getúlio Vargas – SP
• Especialização em Altos Estudos Estratégicos – Escola Superior de Guerra – ADESG – SP
• Especialização em Ergonomia – Miami – Lakes, Fl
• Especialização em administração e gestão – Université Grenoble Alpes
• Professor do Estado de São Paulo na disciplina de Higiene e Segurança do Trabalho
• Membro oficial do  US NATIONAL SAFETY COUNCIL -USA
• Membro oficial do US HUMAN FACTORS AND ERGONOMIC SOCIETY – USA
• Diretor Técnico Científico da ASE – All Safety Ergonomics – Mundoergonomia
• Presidente  da CMQV – Câmara Mutidisciplinar de Qualidade de Vida – responsável pelo departamento de ERGONOMIA
• Ex. Diretor do CONSELHO COMUNITÁRIO DE SEGURANÇA – Jacareí – SP
• Ex. Conselheiro da  FIESP/ SESI E SENAI – Jacareí – SP
• Coordenador Técnico do PPRE – Programa de Prevenção de Riscos Ergonômicos da CMQV – SP
• Coordenador do CRESP– Centro de referência em Ergonomia de São Paulo
• Membro da Comissão de Estudo Especial de Ergonomia da Interação Humano-Sistema (ABNT/CEE-126) 

osny@mundoergonomia.com.br 

A- PROJETOS / PROGRAMAS E CAMPANHAS INSTITUCIONAIS:

P1-       Projeto: Reconstruindo um  Mundo Melhor
P2-       Campanha : Conhecendo e Resolvendo
P3-       Projeto: Arborização (SVMA – São Paulo)
P4-       Projeto: Condomínios Sustentáveis
P5-       Campanha: Empresa Consciente – selo CAC
P6-       Projeto: A Escola de fábrica
P7-       Projeto: Hotelaria Sustentável – Agenda 21 da Hotelaria
P8-       Projeto Saúde Sustentável – Gestão Ambiental Integrada na Saúde
P9-       Projeto: NAES – Núcleo de Apoio aos Estabelecimentos de Saúde 
P10-     Projeto: ERGOPET
P11-     Projeto : “Saúde com Qualidade”
P12-     Projeto: “TIKA”
P13-     Projeto : Restrina
P14-     Projeto: “Sementinhas da PAZ” – TIKA – Ritaryart – Rotary Kids
P15-     Consumo Consciente: “Implantando a Coleta Seletiva Consciente”
P17-    Projeto: “Pequenos Cipeiros” – TIKA – Segurança no Lar
P18-    Projeto: “Integração Animal”
P19-    Projeto “Ambientare”
P20-    Campanha – AGUA – A Gotinha da Vida
P21-    Projeto: A ginástica do Gato
P22-    Programa Risco Zero
P23-    PPRE – Programa de Prevenção de Riscos Ergonômicos
P24-    Projeto: Arte e o SER Mulher
P25-    Projeto: Protocolo Ambiental Rotaryano
P26-    Programa Punho Seguro
P27-    Programa Coluna Segura
P28-    Projeto: Planejamento Familiar Sustentável
P29-    Projeto Show House Facility 

B- TRABALHOS DE PESQUISAS

T1-  Produtos de recuperação e reciclagem de pneus
T2-  Pesquisa: O que são e qual o problema sanitário das “Trutas 
Salmonadas”
T3-  Lazerologia e Antienvelhecimento
T4-  A importância da Gestão Ambiental Integrada
T5-  Validação do processo BIOBUSTER
T6-  Impactos Ambientais dos Cemitérios: Mitos e Verdades 

C- PARTICIPAÇÃO EM PROJETOS E LEGISLAÇÕES

L1-   Política Estadual de Resíduos Sólidos de São Paulo – (finalizada)
L2-   Resolução ANVISA – 33/ 306  finalizada)
L3-   Resolução CONAMA – 358 (finalizada)
L4-   Comissão para elaboração da NR32- (finalizada)
L5-   Projeto: Saude Tiete 
L6-   Grupos de estudos de projetos viáveis com foco em “Creditos de Carbono”
L7-   Grupo de Estudos de Riscos Químicos e Biológicos – CTRQB – União Farmacêutica do Estado de São Paulo
L8-   Política Nacional de Resíduos Sólidos
L9-   Grupo de Estudos de impactos ambientais por atividades cemiteriais
L10-  Grupos de Estudos Ambientais com foco no Risco Zero
L11-  Atendimento à Resolução CONAMA 402 – em São Paulo – capital – L12 – Licenciamento Ambiental de Cemitérios (FINALIZADA) 

D- GRUPOS DE ESTUDOS TÉCNICOS

GT1 – Grupo de Estudos de Risco do Vale do Paraíba – GEV
GT2 – Grupo de Estudos de Riscos Plenos – GERP 

A BraSGoldeN – MUNDOERGONOMIA faz parte da grande comunidade Rotaryana.

BrasGoldeN é EMPRESA CIDADÂ – 

O Programa Empresa Cidadã atesta a responsabilidade social de sua empresa ao torná-la parceira do Rotary em sua obra reconhecida de transformar o Brasil.

Trata-se de um programa de contribuições para realizar doação de mil dólares rotários no período de 12 meses – o que pode ser feito tanto através de doações mensais no valor mínimo de R$300 ou em menos parcelas de maior valor. Através da ABTRF, essas contribuições são todas destinadas aos projetos humanitários da Fundação Rotária no Brasil.

Ao aderir ao programa, a empresa recebe um selo eletrônico, que pode ser incluído em seus e-mails e website como chancela de sua responsabilidade social. Completada a contribuição de mil dólares, a Empresa Cidadã recebe um certificado da ABTRF, podendo, ainda, oferecer um Título Paul Harris emitido pela Fundação Rotária a uma pessoa de destaque, que pode ser da própria empresa. O Clube e distrito de Rotary que sejam os parceiros da empresa podem também divulgar sua marca através de Banner e comunicações locais/distritais.

A TRAGÉDIA DE BOPHAL E O DIA INTERNACIONAL DA MULHER

O Dia da Mulher é a celebração das conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres ao longo dos anos, sendo adotado pela Organização das Nações Unidas e, consequentemente, por diversos países.

Objetivo da Data:  Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. A ideia foi sempre fortalecimento.

Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual.

O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher.

Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional.

Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

História e Origem do Dia Internacional da Mulher

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho. A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada.

Não questionamos se esse incêndio foi ou não provocado, apenas dizemos: aconteceu.

Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas.

A luta das mulheres por melhores condições de vida e trabalho começou a partir do final do século XIX, principalmente na Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de 15 horas diárias e a discriminação de gênero eram alguns dos pontos que eram debatidos pelas manifestantes da época.

De acordo com registros históricos, o primeiro Dia da Mulher foi celebrado nos Estados Unidos em maio de 1908 (Dia Nacional da Mulher), onde mais de 1.500 mulheres se uniram em prol da igualdade política e econômica no país. As celebrações do Dia Internacional da Mulher ocorreram a partir de 1909 em diferentes dias de fevereiro e março, a depender do país.

A primeira celebração oficial se deu em 28 de fevereiro de 1909 nos Estados Unidos, seguida de manifestações e marchas em outros países europeus nos anos seguintes, usualmente durante a semana de comemorações da Comuna de Paris, ao final de março.

As manifestações uniam o movimento socialista, que lutava por igualdade de direitos econômicos, sociais e trabalhistas, ao movimento sufragista, que lutava por igualdade de direitos políticos. Somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaríamos a ser o Dia Internacional da Mulher, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Todos esses fatos foram por muito tempo esquecidos e acabou sendo recuperada somente com o movimento feminista nos anos 60. Somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas) e, somente no ano de 1977 as Nações Unidas reconhecem a data como oficial. Conquistas das Mulheres Brasileiras: Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo. Marcos das Conquistas das Mulheres na História 1788 – o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres. 1840 – Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos. 1859 – surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres. 1862 – durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia. 1865 – na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs. 1866 – No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas. 1869 – é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres 1870 – Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina. 1874 – criada no Japão a primeira escola normal para moças 1878 – criada na Rússia uma Universidade Feminina 1901 – o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres 1976 – Criado o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (United Nations Development Fund for Women – Unifem) é um órgão das Nações Unidas com a missão de prover assistência técnica e financeira a programas inovadores e estratégias que contribuam para assegurar os direitos da mulher, sua participação na política e sua segurança econômica. 1995 – Realizada em Pequin, China, a 4ª Conferência Mundial da Mulher. 2010 – em 02 de julho, a Assembleia Geral da ONU votou por unanimidade a criação de um órgão único da ONU encarregado de acelerar os progressos para alcançar a igualdade de gênero e fortalecer a autonomia das mulheres criando a ONU Mulheres, a Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, e o Unifem deixou de existir, sendo incorporado à nova instituição.

Ao fazê-lo, os Estados-Membros da ONU deram um passo histórico para acelerar a implementação das metas da Organização sobre a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres. A criação da ONU Mulheres surgiu como parte da agenda de reforma das Nações Unidas, reunindo recursos e mandatos para gerar mais impacto. A instituição agrega e constrói sobre o importante trabalho de quatro setores prévios distintos do Sistema das Nações Unidas, que se centravam exclusivamente na igualdade de gênero e no empoderamento das mulheres: A nova Entidade da ONU para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres – ou ONU Mulheres – reúne quatro agências e escritórios da Organização: o Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM), a Divisão para o Avanço das Mulheres (DAW), o Escritório de Assessoria Especial em Questões de Gênero e o Instituto Internacional de Treinamento e Pesquisa para a Promoção da Mulher (INSTRAW). A ONU Mulheres começou a funcionar em 1° de janeiro de 2011. Atualmente, além do caráter festivo e comemorativo, o Dia Internacional da Mulher ainda continua servindo como conscientização para evitar as desigualdades de gênero em todas as sociedades.

Outros fatos aterrorizantes marcam o mês de março como o mês da Mulher. 1- Incêndio na fábrica Triangle Shirtwaist Factory No dia 25 de março de 1911, cerca de 600 operários e operárias de uma fábrica de roupas de Nova York, nos Estados Unidos, estavam trabalhando, em pleno sábado à tarde, quando começou um incêndio no prédio.

Os donos da Triangle Shirtwaist Factory já possuíam um histórico de incêndios suspeitos, possivelmente para ganhar o dinheiro do seguro. Dois anos antes, a fábrica havia sido um dos principais alvos da greve dos trabalhadores da indústria do vestuário, liderada por mulheres do Sindicato de Trabalhadoras dos EUA, com a ativista de origem ucraniana Clara Lemlich à frente. O movimento pedia melhores salários, jornada de 10 horas por dia (em vez de 12) e igualdade entre homens e mulheres.

O fogo na Triangle mostrou as péssimas condições de trabalho das costureiras e costureiros, em sua maioria mulheres e meninas imigrantes –russas, italianas, alemãs e húngaras–, que mal falavam o inglês. Havia até mesmo crianças de 12 anos de idade. Movidos pelo pânico com o fogo que se alastrava, os jovens tentaram escapar do edifício de qualquer maneira, mas as saídas de incêndio estavam trancadas por fora. 143 trabalhadores morreram, 14 homens e 129 mulheres. 49 não resistiram às queimaduras ou foram sufocados pela fumaça, 36 morreram no poço do elevador e 58 por pular do edifício. Dias depois, milhares de pessoas iriam acompanhar o funeral das vítimas ao longo da Quinta Avenida, em Nova York. Apesar dos indícios de que o incêndio fora criminoso, a Justiça absolveu os proprietários da fábrica. O Incêndio da Triangle Shirtwais Factory, como passou à história, é tido como o mais mortal acidente de trabalho da história de Nova York e resultou em modificações nas leis trabalhistas norte-americanas.

Embora a origem exata do Dia Internacional da Mulher seja controversa, a morte das trabalhadoras da fábrica é sempre lembrada como um dos eventos que o motivaram. As 129 mulheres e meninas se tornaram símbolo deste dia. Com o movimento socialista que já agitava a Europa no começo do século, março se fortaleceu como o mês da luta pela emancipação da mulher, com datas variáveis 2- Movimento Paõ e Paz No início de 1917, na Rússia, ocorreram manifestações de trabalhadoras por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial. Os protestos foram brutalmente reprimidos, precipitando o início da Revolução de 1917. A data da principal manifestação, 8 de março de 1917 (23 de fevereiro pelo calendário Juliano), sendo também instituída como Dia Internacional da Mulher pelo movimento internacional socialista. A manifestação que contou com mais de 90 mil russas ficou conhecida como “Pão e Paz” Perspectivas: O ano 2030 marca o prazo para que os Estados-membros cumpram os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, acordados no ano passado por todos os países integrantes da ONU. As metas globais incluem a busca pela paridade entre homens e mulheres e pelo empoderamento feminino, bem como a garantia da educação inclusiva, equitativa e de qualidade para todos, durante toda a vida.

O ideia de – passo decisivo – veio da campanha da ONU Mulheres lançada também em 2015 para cobrar compromissos nacionais dos governos de cada país. Segundo a diretora executiva da agência das Nações Unidas, Phumzile Mlambo-Ngcuka, mais de 90 Estados prometeram ações concretas para “romper algumas das barreiras fundamentais à conquista da igualdade de gênero” em seus territórios. No Brasil, a ONU Mulheres tem estimulado debates, junto às autoridades e à sociedade civil, sobre os direitos das mulheres, principalmente, sobre aqueles vinculados à saúde reprodutiva.

A agência apoia campanhas e concursos que chamam atenção para a violência de gênero, em especial, agressões e abusos que ocorrem dentro de casa, mas também nas escolas e ambientes de trabalho. Iniciativas nacionais contemplam também minorias, como as mulheres indígenas, ciganas e com deficiência.

A participação das mulheres em todos os níveis e o fortalecimento do movimento de mulheres nunca foram tão críticos, (assim como) trabalhar junto com meninos e homens, para empoderar nações, construir economias mais fortes e sociedades mais saudáveis, disse Mlambo-Ngcuka.