EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO – PRÉ RELATÓRIO DE UM POSTO DE TRABALHO

ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO

 

Prezados amigos

 

Trazemos este relatório pois acreditamos que será de bastante utilidade.

 

Esse relatório foi feito com base em 4 fotos enviadas pelo cliente para uma avalição prévia.

 

Lembramos aos nossos clientes que esse é e sempre deveria ser o procedimento correto para que, em conjunto, as especificações fossem feitas minimizando os riscos de uma adequação inadequada quer fisica, que legal.

 

Vejam a apresentação relatada e comentem. É um pré relatório para a AET completa.

 

Estamos abertos para discussões de casos. Venha participar conosco

 

att

 

Osny

 

Relatório  preliminar  –  resumo com alguns comentários sobre as fotos

 

CLIENTE – XXXXXXXXXXXXXXXX

 

Data: 03 de julho de 2014

 

VER – FOTO 01  –  Exemplo típico de posto de trabalho que precisa de uma intervenção. Varias observações: Usuário não pode se aproximar como deveria da área de atividade, pois a cadeira não pode se aproximar da bancada. Aparentemente (não temos a altura da área de trabalho) a cadeira está mais alta do que deveria. Deveria ser mais baixa e poder se aproximar, mas o projeto da bancada com pouco clearance não permite, há até uma gaveta atrapalhando. Observe que o aro está na posição mais baixa como se observa em TODAS as nossas intervenções o que ratifica nosso pensamento que estes aros não devem ser usados. Um apoio de pés separado é o ideal, mas para tanto a travessa (que hoje está sendo mal usada como apoio de pés) precisa ser também retirada. Assim o maior problema está na bancada que deve ser totalmente reformulada, e após, uma cadeira simples com altura de assento e encosto reguláveis, tipo modelo FLEX cuja altura e curso do pistão serão definidos em função da altura da mesa (ou altura da área de trabalho). Vide slides anexos com exemplos de bancadas não ergonômicas, slide da necessidade do espaço sob a bancada (clearance). Treinamento manuseio de materiais Coluna Segura com uso de cintos lombares flexíveis recomendado.

 

VER – FOTO 02 – Parece pela foto que a superfície de trabalho é um pallet que está sobre um porta pallet. Sem saber o motivo deste arranjo, só me resta comentar que se deve estudar a possibilidade de aproximar da área de trabalho (evitar a alavanca do braço) e uma cadeira ou banco baixo com regulagem de altura do assento e idem do encosto com rodízios (pois parece que os usuários “caminham” em torno do pallet), poderia ser uma solução. A altura do assento e curso será em função da altura da superfície de trabalho.  Treinamento manuseio de materiais Coluna Segura com uso de cintos lombares flexíveis recomendado.

 

VER FOTO 03 – Novamente aqui se vê todos os aros das cadeiras em repouso. Não funcionam. Aqui também se observa que os assentos das cadeiras deveriam subir mais de maneira que o ângulo do braço-antebraço se aproxime ao máximo de noventa graus. Mas isso não é possível pela falta de clearance (vide foto 01), pois sob a superfície de trabalho há estrutura que impede. Por outro lado há espalho para apoio de pés separado sobre o piso. Uma solução paliativa até se reestruturar a linha de produção é se usar cadeiras FLEX pode ser H0 23 ou H0 21 com pistão gigante e apoio de pés de oito ou dezesseis alturas em função da altura da bancada de produção que desconhecemos a altura. Uso de cintos lombares mais treinamento movimentação de material Coluna Segura ajuda e muito.

 

VER FOTO 04 – Vista geral com muitos pallets o que se conclui necessidade de treinamento movimentação carga sobre pallet com porta pallets e ou alteração logística a fim de que as posições de colocação ou retirada extremas sejam evitadas. Treinamento Coluna Segura, cintos, e uma boa AET em geral.

 

Assinado: engenheiro Osny Telles Orselli

 

Jacareí 03 julho de 2014.

 

Apenas para finalizarmos:

 

A Ergonomia  é uma disciplina científica relacionada ao entendimento das interações entre os seres humanos e outros elementos ou sistemas, e à aplicação de teorias, princípios, dados e métodos a projetos a fim de otimizar o bem estar humano e o desempenho global do sistema.

 

Os Ergonomistas contribuem para o planejamento, projeto e a avaliação de tarefas, postos de trabalho, produtos, ambientes e sistemas de modo a torná-los compatíveis com as necessidades, habilidades e limitações das pessoas.

 

A palavra Ergonomia deriva do grego Ergon [trabalho] e nomos [normas, regras, leis]. Trata-se de uma ciência orientada para uma abordagem sistêmica de todos os aspectos da atividade humana. Para darem conta da amplitude dessa dimensão e poderem intervir nas atividades do trabalho é preciso que os Ergonomistas tenham uma abordagem holística de todo o campo de ação da disciplina, tanto em seus aspectos físicos e cognitivos, como sociais, organizacionais, ambientais, etc. Freqüentemente esses profissionais intervêm em setores particulares da economia ou em domínios de aplicação específicos. Esses últimos caracterizam-se por sua constante mutação, com a criação de novos domínios de aplicação ou do aperfeiçoamento de outros mais antigos.

 

Em nosso conceito a Ergonomia é a ciência do conforto!

 

Participem do nosso Mundo mágico da ERGONOMIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PRODUTOS