PRODUTOS ANTI ESTÁTICOS

APRESENTAÇÃO DA LINHA

PRODUTOS ANTI ESTÁTICOS – ESD 

NORMA ANSI/ESD S20.20-2014

Antes de mais nada, é necessário chamar a atenção para a denominação ESD:

ESD + Electrostatic discharge

Resumidamente é possivel explicar que ESD é o fluxo súbito de eletricidade entre dois objetos eletricamente carregados, causados ​​por contato, um curto-circuito elétrico ou uma falha dielétrica. Um acúmulo de eletricidade estática pode ser causado por tribocharging ou por indução eletrostática. O ESD ocorre quando objetos carregados de forma diferente são aproximados ou quando o dielétrico entre eles se rompe, geralmente criando uma faísca visível.

A descarga eletrostática (ESD) é a liberação de eletricidade estática quando dois objetos entram em contato. Exemplos familiares de ESD incluem o choque que recebemos quando passamos por um carpete e tocamos uma maçaneta de metal e a eletricidade estática que sentimos depois de secar as roupas em uma secadora de roupas. Um exemplo mais extremo de ESD é um raio. Enquanto a maioria dos eventos ESD são inofensivos, pode ser um problema caro em muitos ambientes industriais.

ESD primeiro requer o acúmulo de uma carga eletrostática. Isso ocorre quando dois materiais diferentes se esfregam juntos. Um dos materiais se torna positivamente carregado; o outro fica com carga negativa. O material carregado positivamente agora tem uma carga eletrostática. Quando essa carga entra em contato com o material certo, ela é transferida e temos um evento ESD. O calor do evento ESD é extremamente quente, embora não o sintamos quando estamos chocados. No entanto, quando a carga é liberada em um dispositivo eletrônico, como um cartão de expansão, o calor intenso da carga pode derreter ou vaporizar as partes minúsculas no cartão, fazendo com que o dispositivo falhe. Às vezes, um evento de ESD pode danificar um dispositivo, mas continua funcionando. Este é um defeito latente chamado, que é difícil de detectar e encurta significativamente a vida útil do dispositivo

Muitos dispositivos eletrônicos são suscetíveis a eventos de ESD de baixa tensão. Por exemplo, os componentes do disco rígido são sensíveis a apenas 10 volts. Por esse motivo, os fabricantes de dispositivos eletrônicos incorporam medidas para evitar eventos de ESD durante os processos de fabricação, teste, expedição e manuseio. Por exemplo, um funcionário pode usar uma pulseira ao trabalhar com dispositivos ou pode usar calçados de controle ESD e trabalhar em um tapete ESD que faça com que a carga eletrostática entre no solo, e não no dispositivo. Os dispositivos sensíveis podem ser embalados com materiais que protegem o produto de uma carga.

ELETRICIDADE ESTÁTICA – A eletricidade estática está sempre presente.

Em muitos casos a sua geração primária é a própria pessoa.

O simples ato de estar sentado em determinado tipo de cadeira ou mesmo de andar, pode gerar alguns milhares de Volts no corpo humano principalmente quando o ar está mais seco.

Essas cargas eletrostáticas normalmente não são percebidas até serem descarregadas em um fenômeno que chamamos de DES – Descarga Eletrostática.

Essas cargas são acumulativas e se não forem devidamente controladas, podem provocar choques e estragos perceptíveis e muitos imperceptíveis em dispositivos sensíveis e mesmo em componentes eletro eletrônicos. Muitas vezes percebemos essa descarga até com a sensação de emitir uma faísca

A procura de soluções para proteção contra essas descargas de eletricidade estática é crescente em ambientes industriais e comerciais.

Existem ambientes extremamente rigorosos onde essas descargas causam danos irreparáveis e para evitar esses problemas, devem ser seguidos todos os parâmetros contidos na Norma ANSI-ESD-S20-20 e na nova : ANSI/ESD S20.20-2014

Os assentos ou cadeiras:

Assentos em Geral como Cadeiras ou Bancos que requerem a tecnologia ESD precisam ter condições que não gerem eletricidade estática ou que a dissipem.

A eventual eletricidade estática, por ventura criada, deseja-se que seja imediatamente conduzida à rede de terra.

Se há a possibilidade de se ter um piso condutivo, os próprios pés ou rodízios desde que sejam condutivos, totalmente metálicos, não oxidáveis, conduzirão qualquer eletricidade à rede de terra.

Qualquer cadeira ou banco que apresente material plástico, seja revestimento poliéster ou vinil, polipropileno, poliuretano, etc., gerarão eletricidade estática exceto se estes materiais plásticos foram injetados com aditivos especiais que os tornam não geradores de eletricidade estática.

Há aditivos e tratamento químico que tornam alguns desses materiais, em particular tecidos de revestimentos que farão que não gerem dentro de um limite e por certo tempo eletricidade estática.

Tratam-se dos revestimentos em poliéster ou vinil que são impregados com tratamento ESD. Estes podem revestir assentos e encostos de bancos e ou cadeiras, por exemplo.

Não conhecemos componentes injetados em plásticos como braços, capas de encosto, bases de cadeira, pés de plástico,  fabricados no Brasil que atendam às Normas Internacionais ESD tampouco os revestimentos tratados como descrito acima. baixo.

Em conseqüência cadeiras e ou bancos que precisem atender as Norma ESD Internacional ainda são importados e caras.

Linha de produtos ANTI ESTÁTICOS = ESD DA MUNDO ERGONOMIA BRASGOLDEN

Linha Condutiva

Produtos como cadeiras, apoio de pés, bancadas, bancos, fabricados pela Mundo Ergonomia podem ser encontradas na modalidade condutivos, pois são 100 % em aço inox.

Ambientes que não podem ter particulados, os assentos não podem ser revestidos e o produto 100 % inox é o ideal.

AÇO inoxídável é 100 % condutivos e não gera eletricidade estática. Porem são super condutivos e, claro, não obedecem às Normas ESD para trabalho em áreas sujeitas a risco de contato elétrico pelo usuário, para evitar choques.   Mas são totalmente recomendados para áreas limpas que precisam não gerar particulados e eletricidade estática.

Esses assentos, desde que totalmente em aço inox, são absolutamente condutivos e, portanto não geram eletricidade estática desde que sejam aterrados através de seus pés em piso condutivo ou

Cadeiras, bancos, apoio de pés inteiramente fabricados em aço inoxidável AISI 304 com pés condutivos para pisos condutivos ou com a possibilidade de borne para serem aterrados à linha de terra, os produtos como cadeiras, apoio de pés, bancadas, bancos, fabricados pela Mundo Ergonomia podem ser encontradas na modalidade condutivos pois são 100 % em aço inox.

Para ambientes que não podem ter particulados, os assentos não podem ser revestidos e o produto 100 % inox é o ideal – Cadeiras , bancos, apoio de pés inteiramente fabricados em aço inoxidavel AISI 304 com pés condutivos para pisos condutivos ou com a possibilidade de borne para serem aterrados à linha de terra.

Linha revestida

Cadeiras e bancos revestidas de tecido tratadas por processo químico  ESD.

Modelo made in Brasil porem não obedece às Normas mais rígidas da ESD para ambientes elétricos.

Atendem à ABNT e à NR 17 revestida de tecido 100 % poliéster de primeira linha tratada para não gerar ESD. todos os demais componentes com cabos condutores inclusive a base da cadeira. E um dos pés fixos é condutivo ou se utiliza rodízios metálicos.

Esta cadeira possui fotos e especificações detalhadas.

Observe que há no Brasil e temos acesso a rodízios que não geram ESD.

Uma cadeira ou assento ESD deve ter Laudo Técnico e mencionar a especificação técnica de suas caracteristicas ESD com as Normas pertinentes.

Para atender o requisito mais rígido das Normas ESD não basta revestir uma cadeira com tecido ESD, apenas.

Alertamos que para atender o requisito mais rígido das Normas ESD não basta revestir uma cadeira com tecido ESD, é necessário, sempre, se verificar a  Norma ANSI-ESD-S20-20  e a  nova : ANSI/ESD S20.20-2014

Saiba o que e quando testar com o  ESD_Control_Program_Verification

Nota: A Norma ESD para trabalhos em circuitos elétricos sugere e exige uma resistência maior do que zero a fim de proteger o usuário em casos de contato emergencial com a rede. 

Conheça a Norma e seus testes

A Norma ANSI-ESD-S20-20 – 1999

https://drive.google.com/file/d/0B_4qri5E5j39dFk0YXo5NmNBdUk/edit?usp=sharing

A Nova Norma : ANSI/ESD S20.20-2014

https://webstore.ansi.org/preview-pages/ESDA/preview_ANSI+ESD+S20.20-2014.pdf 

O que e quando testar ESD_Control_Program_Verification

https://drive.google.com/file/d/0B_4qri5E5j39ajctenlTT213MGs/edit?usp=sharing

A Mundo Ergonomia tem acesso a produtos de revestimento de assentos e encostos que não geral ESD e assim pode oferecer suas tradicionais cadeiras e bancos 100 % ergonômicos e que atendem à NR 17 etc, revestidas com esses materiais.

Em adição, é possível  oferecer uma cadeira ou banco onde os componentes metálicos são conectados por cabo condutor até sua base ou pé. Um condutor pode então conectar essas cadeira ou banco à rede de terra. Ou usar pé metálico ou a corrente metálica ou os dois que estarão conectados a um piso condutivo.

NOTA: A All Safety desenvolveu um projeto para um laboratório de nanotecnologia onde havia uma exigência muito rígida para não gerar particulados e ao mesmo tempo não gerar ESD. Optou-se por cadeiras e bancos 100 % aço inox AISI 304 por nós fabricados para diversos clientes, totalmente customizados a fim de atender o projeto ergonômico. O risco de eventual choque elétrico não existe, pois o laboratório conta com proteção de choques ao usuário nas fases do circuito de alimentação.

Linha Cadeira injetada em poliuretano importada.

A All Safty oferece um modelo de cadeira ergonômica que atende aos requisitos das Normas Internacionais e testadas e laudadas em consequência.

Resistência elétrica da superfície: 104 Ω – 109 Ω

Resistência elétrica do conjunto: 104 Ω – 109 Ω

APLICAÇÕES: A Cadeira em Poliuretano integral skin Antiestático tem a função da descarga eletrostática e também proporcionar conforto, reduzindo a fadiga do operador.

Usadas em laboratórios eletrônicos para evitar danos aos componentes sensíveis.

Especificações técnicas

Assento giratório de 360 graus. Injetado em poliuretano aditivado ESD, aparafusado em flange de aço estampada confeccionada em chapa de aço, com regulagem de altura do assento em relação ao solo.

Dimensões do Assento Profundidade de 400 mm x Largura de 430 mm

Espaldar Injetado em poliuretano ESD. Interno em nylon, com lâmina em aço para o encosto. Encosto reclinável e com regulagem de altura.Totalmente injetada em poliuretano PU sem emendas

Dimensões do Espaldar: Altura de 400 mm x Largura de 300 mm

Coluna Giratória com regulável de altura a gás.

Altura da coluna a gás disponível do assento em relação ao solo: mínima 650 mm X máxima 800 mm.

Pistão: pistão regulável acionamento a gás para ajuste da altura do assento.

Mecanismo: TIPO “L” FIXO, sem inclinação, sem regulagem de altura do encosto em relação ao assento. Assento altura regulável.

Base: Base confeccionada em aço estrutural cromada em cinco patas com 600 milímetros de diâmetro.

Acabamentos dos metais: fosfatização, seguido de pintura epóxi, aplicada eletrostaticamente com mínimo de 30µ.  Cor padrão preta.

Rodízios: Todos Antiestático em Nylon.

Componentes: Preta e cromados.

Aro de apoio para os pés FIXO

Peso do usuário suportado: Até 150 Kg;

Outros produtos

Tapetes anti fadiga ESD, toucas, aventais sapatos, pulseiras ESD estão sendo comercializadas com a qualidade BraSGoldeN.

Julho 2019  – Nota: A All Safety é uma empresa de engenharia ergonômica. Nasceu realizando cursos de ergonomia, realizando AETs de postos de trabalho. Posteriormente, começou a projetar produtos. Os engenheiros e ergonomistas estão à disposição para estudar seu caso em particular. Traga sua necessidade, seu posto com as alturas, sua peculiaridade em áreas sensíveis ou restritas para podermos avaliar.

Todos os produtos  são laudados e assinados por profissionais capacitados e legalmente habilitados.

Caso tenha alguma duvida sobre o tema ESD, entre em contato com a equipe de engenharia da All Safety – Mundoergonomia – 12 – 3954 0070

ENTRE E CONHEÇA MAIS DETALHES SOBRE PRODUTOS ANTI ESTÁTICOS 

 

Protection Of Electrical And Electronic Parts, Assemblies And Equipment (Excluding Electrically Initiated Explosive Devices)​