Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Cintos Lombares Estudo bibliográfico nos EUA

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO NOS EUA, SOBRE REDUÇÃO DE LESÕES E PREVENÇÃO DE PERDAS

Listamos a seguir, para aqueles que querem pesquisar, uma serie de artigos internacionais sobre o uso de cintos abdominais lombares (Back Supports) e sua importância para a prevenção de lesões da coluna desde que flexíveis e muito bem projetados). A BrasGolden está à disposição para ajudar suas pesquisas e tirar as dúvidas.  

ALLEN, S.K. WILDER, K ” Back Belts Pay Off for Nurses”. Occupational Health & Safety, January 1996

O estudo compreende 47 enfermeiras divididas em dois grupos. O primeiro grupo recebeu treinamento sem cintos suportes abdominais. O segundo recebeu treinamento e cintos lombares. Após seis meses ambos grupos foram avaliados e as pesquisas revelaram uma significativa diferença nos resultados. O grupo que recebeu treinamento e cintos abdominais deixaram de sofrer de lesões na coluna e lombalgias.

 ASSUNDI, P.PURSWELL, J.,BOWEN, D. “Evaluation of Back Belts in the Prevention of Manual Material Handling Injuries”. Presented at Ohio State University 1993

Este estudo sumariza os resultados de uma pesquisa em grande escala em trabalhadores que levantam peso. Indica que o uso de cintos suportes abdominais lombares reduz o risco de lesão lombar de pelo menos a metade e não uso de cintos lombares aumenta o risco de lesões na coluna lombar mais do que duas vezes.

BUNCH, R.W. “Fighting Back Injuries in Industry”

Discute a aplicação de uma série de técnicas para combater lesões na coluna. Inclui uma análise de 450 empregados da McDermott International que receberam cintos lombares e treinamento. Também inclui um estudo que demonstra que cintos lombares não afetam a percepção da capacidade de levantamento. 

NATIONAL SAFETY COUNCIL – INJURY FACTS 2000 EDITION

Página 70 Backs

 Uma vez mais, a região lombar foi a mais afetada dentre as lesões que provocaram perda de dias de trabalho. O uso de cintos abdominais lombares foi sugerido para diminuir as lesões entre os empregados sãos.

DEVAHL, J. “Back Support Belts – They are Everywhere” Physical Therapy Products 1993; 16-17.

Este artigo detalha o sucesso do uso de cintos lombares em várias situações de trabalho em clínicas especializadas. Menciona dois importantes fatos: 1) um cinto lombar pode realmente proporcionar biofeedback para o seu usuário; 2) um cinto lombar não pode ser considerado um EPI, mas simplesmente uma ferramenta para ajudar a reduzir o risco e a severidade das lesões.

“First In-Depth Study Proves Back Support Belt Benefits”. material Handling Engineering 1997; 47-52

Oferece uma rápida sinopse do estudo da Universidade de LOS ANGELES/HOME DEPOT. Resume os resultados e procedimentos seguidos no estudo. Depois que uma política que obrigava o uso de cintos lombares foi instituída, a incidência de lesões lombares caiu de um terço. 

GENAIDY, A.M., SIMMONS, R.J. “Can Back Supports relieve the Load on the Lumbar Spine for Employees Engaged in Industrial Operations?” Ergonomics 1995; 38(5): 996-1010.

Resume uma revisão de um documento sobre um número de estudos relacionados aos cintos lombares. Todos os estudos revelam um aumento da pressão intra-abdominal com o uso de cintos lombares. Também cita os efeitos positivos dos cintos lombares em indústrias de manufaturados. 

 HOUNSELL, D. “Ensuring Worker Safety: The Backbone’s Connected to the Pocketbook”. Maintenance Solutions August 1994; 26-27

A importância da segurança entre os trabalhadores está aumentando. Produtos, enquanto oferecem proteção, devem ser também confortáveis o bastante para o usuário que querem usá-los. 25,3 bilhões de dólares foram gastos em 1991 apenas em tratamentos de lesões da coluna relacionados ao trabalho. Cintos Lombares são um dos muitos produtos usados como prevenção

KRAUS, J.F., BROWN, K.A. MCARTHUR, D.L., PEEK, C., SAMANIEGO, L., KRAUS, C., ZHOU, L. “Reduction of Acute Low Back Injuries by Use of Back Supports”. International Journal of Occupational and Environmental Health 1996; 263-273

O Vade-mécum dos estudos real sobre o uso dos cintos lombares. O estudo trata a visão antes e depois da Companhia de home store Home Depot sobre uma política de uso obrigatório de cintos lombares. Mais de 101 000 000 horas de trabalho e 36 000 empregados foram estudados durante um período de seis anos. Após a implementação de um programa de uso de cintos lombares, a pesquisa mostrou a redução em 36% taxas de lesões da coluna.

LABAR, G. “Blind About Back Belts” Occupational Hazards February 1996

O artigo trata ambos os lados sobre o debate de cintos lombares, mas cita muitos exemplos sobre a maré favorável na direção do uso de cintos lombares. O autor discute muitos sucessos em ambientes clínicos e reais sobre o uso com treinamento de cintos suportes abdominais lombares. 

 LABAR, G. “UCLA Study Supports back belt Use”. Occupational Hazards December 1996; 7

Discussões sobre as ideias de Jess Kraus, Diretor do Centro de Pesquisa em prevenções de lesões da Universidade do Sul da Califórnia sobre o seu estudo de seis anos nos trabalhadores do Home Depot. Antes do seu envolvimento neste estudo, ele não colocava muita fé nos cintos lombares como uma ferramenta para a prevenção de lesões da coluna. Após, sua opinião em relação aos cintos lombares tornou-se totalmente positiva.

 MITCHELL, L.V., LAWLER, F.H., BOWEN, D., MOTE, W., ASUNDI, P., PURSWELL, J. “Effectiveness and Cost Effectiveness of Employer-Issued Back Belts in Areas of High Risk for Back Injury”. Journal of Occupacional Medicine 1994; 90-94

Sumariza um estudo demonstrando que os cintos lombares substancialmente reduzem o número de dias perdidos devido a lesões da coluna e sugere o uso de cintos lombares para reduzir a severidade das lesões. Também compara o uso de cintos lombares rígidos e flexíveis. 

NIOSH, “Current Position” 1997

 NIOSH está reavaliando sua posição de 1994 sobre cintos lombares: Cintos lombares não são recomendados para prevenir lesões para trabalhadores sãos. Eles estão conduzindo um estudo em larga escala de 8 000 empregados para determinar a ajuda dos cintos lombares. Este estudo foi determinado após os resultados extraordinários da pesquisa Home Depot / UCLA. 

RUNDLE, R.L. “Back Supports Receive Support in UCLA Study”. The Wall Street Journal October 9, 1996

 O artigo foca os resultados positivos do estudo UCLA/ Home Depot. O autor versa sobre como este estudo pode afetar positivamente a indústria com o uso dos cintos lombares.

 “Summary of Preliminary Findings from the Fleming Companies, Inc.”

Aborda o sucesso da redução de lesões da coluna na empresa Fleming após instituir um programa obrigatório de uso de cintos lombares. Fleming consignou uma experiência de 58 % de redução em tempo perdido, 52% de redução na frequência de acidentes relacionados com a coluna, e 74% em redução de dias de trabalho perdidos. 

 THOMPSON, L., PATI A.B., DAVIDSON, H., HIRSH, D. “Attitudes and back Belts in the Workplace”. 1994; 22-27.

Resume um estudo refletindo o efeito positivo dos cintos abdominais lombares em atitudes dos trabalhadores e no relato da redução de dores lombares. 

UDO. “The Effect of a Preventative Belt on the Incidence of Low Back Pain, Part II. Investigation in Rice-Carrying Work”. Presented at the Japan Industrial Hygiene Society 1991

 Resume um estudo seguido de 60 trabalhadores envolvidos em manuseio de material da indústria de arroz concluindo que o uso de cintos lombares reduz a tensão e dores lombares

UDO. “The Effect of Preventative Belt on the Incidence of Low Back Pain, Part III. Discussion on Crane Work. Presented at the 65th Japan Industrial Hygiene Society. 1992

 Resume um estudo sobre a redução de dores nas costas em trabalhadores envolvidos em tarefas de motoristas. 

 WALSH, N.E., SCHWARTZ, R.K. “The Influence of Prophylactic Orthosis on Abdominal Strength and Low Back Injury in the Workplace”. Am J Phys Med Rehab 1990;(69): 245-250.

Resume um estudo suportando o conceito sobre a educação combinada com o uso dos cintos lombares pode resultar em diminuição do tempo perdido devido a lesões ocupacionais. Também refuta o mito de que o uso de cintos lombares causa um enfraquecimento dos músculos abdominais. 

NIOSH- USA

BOWEN, D.J. PURSWELL, J.L., SCHLEGEL, R.E., PURSWELL, J.P. “Preferred Tension and Psychophysical Lifting Limits with and without Back Belts.” Advances in Industrial Ergonomics and safety VII June 1995

Resume um estudo sugerindo que o estudo NIOSH bem como outros estudos, pode ter sido afetado por falhas ao incluir cintos lombares como parte dos estudos. O estudo mostra que aqueles que ajustam seus flexíveis e elásticos suportes a tensão que os usuários escolhem tem uma capacidade maior de levantamento do que aqueles que vestem um cinto com uma mínima tensão ou aqueles que não usam um cinto ““.

 NIOSH, “Current Position”1997

NIOSH está reavaliando sua posição de 1994 sobre cintos lombares: Cintos lombares não são recomendados para prevenir lesões para trabalhadores sãos. Eles estão conduzindo um estudo em larga escala de 8 000 empregados para determinar a ajuda dos cintos lombares. Este estudo foi determinado após os resultados extraordinários da pesquisa Home Depot / UCLA. 

UCLA/HOME DEPOT

“First In-Depth Study Proves Back Support Belt Benefits”. material Handling Engineering 1997; 47-52

 Oferece uma rápida sinopse do estudo da Universidade de LOS ANGELES/HOME DEPOT. Resume os resultados e procedimentos seguidos no estudo. Depois que uma política que obrigava o uso de cintos lombares foi instituída, a incidência de lesões lombares caiu de um terço. 

KRAUS, J.F., BROWN, K.A., MCARTHUR, D.L., PEEK, C., SAMANIEGO, L., KRAUS, C., ZHOU, L. “Reduction of Acute Low Back Injuries by Use of Back Supports”. International Journal of Occupational and Environmental Health 1996; 263-273

O Vade-mécum dos estudos real sobre o uso dos cintos lombares. O estudo trata a visão antes e depois da Companhia de home store Home Depot sobre uma política de uso obrigatório de cintos lombares. Mais de 101 000 000 horas de trabalho e 36 000 empregados foram estudados durante um período de seis anos. Após a implementação de um programa de uso de cintos lombares, a pesquisa mostrou a redução em 36% taxas de lesões da coluna.

LABAR, G. “UCLA Study Supports back belt Use”. Occupational Hazards December 1996; 7

 Discussões sobre as ideias de Jess Kraus, Diretor do Centro de Pesquisa em prevenções de lesões da Universidade do Sul da Califórnia sobre o seu estudo de seis anos nos trabalhadores do Home Depot. Antes do seu envolvimento neste estudo, ele não colocava muita fé nos cintos lombares como uma ferramenta para a prevenção de lesões da coluna. Após, sua opinião em relação aos cintos lombares tornou-se totalmente positiva.

 RUNDLE, R.L. “Back Supports Receive Support in UCLA Study”. The Wall Street Journal October 9, 1996

O artigo foca os resultados positivos do estudo UCLA/ Home Depot. O autor versa sobre como este estudo pode afetar positivamente a indústria com o uso dos cintos lombares.

 SOBRE PROGRAMAS DE TREINAMENTO

ALLEN, S.K. WILDER, K ” Back Belts Pay Off for Nurses”. Occupational Health & Safety, January 1996

O estudo compreende 47 enfermeiras divididas em dois grupos. O primeiro grupo recebeu treinamento sem cintos suportes abdominais. O segundo recebeu treinamento e cintos lombares. Após seis meses ambos grupos foram avaliados e as pesquisas revelaram uma significativa diferença nos resultados. O grupo que recebeu treinamento e cintos abdominais deixaram de sofrer de lesões na coluna e lombalgias

KNILL, B. “Back Belts Support Ergonomics”. material Handling Engineering April 1996

Proporciona uma visão geral dos cintos abdominais lombares no trabalho e os benefícios oferecidos pelos mesmos e treinamento. Esclarece a confusão de conceitos sobre o uso de cintos lombares: atrofia muscular e sensação de capacidade maior de levantamento. Também discute os cintos lombares rígidos versus flexíveis. Cintos rígidos: alto grau de pressão intra-abdominal; restringe o dobramento e alongamento. Cintos flexíveis: permitem flexibilidade e dobramento do corpo enquanto proporciona uma pressão intra-abdominal; conforto para o corpo.

 LABAR, G. “Blind About Back Belts” Occupational Hazards February 1996

O artigo trata ambos os lados sobre o debate de cintos lombares, mas cita muitos exemplos sobre a maré favorável na direção do uso de cintos lombares. O autor discute muitos sucessos em ambientes clínicos e reais sobre o uso com treinamento de cintos suportes abdominais lombares.

 WALSH, N.E., SCHWARTZ, R.K. “The Influence of Prophylactic Orthosis on Abdominal Strength and Low Back Injury in the Workplace”. Am J Phys Med Rehab 1990;(69): 245-250.

Resume um estudo suportando o conceito sobre a educação combinada com o uso dos cintos lombares pode resultar em diminuição do tempo perdido devido a lesões ocupacionais.

SOBRE REDUÇÃO DAS FORÇAS NA COLUNA

BUNCH, R.W. “Back Support belts reduce back Injuries – Fact or Myth? Presented to the 1994 National Safety Congress

Informa as preocupações trazidas pelo relatório do NIOSH em 1994. Cobre os aspectos psicológicos (Não dependa dos cintos lombares para prevenir lesões da coluna) e os benefícios fisiológicos (ajuda a manter a coluna lombar na posição neutra) dos cintos lombares. Recomenda o uso de cintos lombares. 

 DEVAHL, J. “Back Support Belts – They are Everywhere” Physical Therapy Products 1993; 16-17.

Este artigo detalha o sucesso do uso de cintos lombares em várias situações de trabalho em clínicas especializadas. Menciona dois importantes fatos: 1) um cinto lombar pode realmente proporcionar biofeedback para o seu usuário; 2) um cinto lombar não pode ser considerado um EPI, mas simplesmente uma ferramenta para ajudar a reduzir o risco e a severidade das lesões.

GENAIDY, A.M., SIMMONS, R.J. “Can Back Supports relieve the Load on the Lumbar Spine for Employees Engaged in Industrial Operations?” Ergonomics 1995; 38(5): 996-1010.

Resume uma revisão de um documento sobre um número de estudos relacionados aos cintos lombares. Todos os estudos revelam um aumento da pressão intra-abdominal com o uso de cintos lombares. Também cita os efeitos positivos dos cintos lombares em indústrias de manufaturados.

 HILGEN, T.H., SMITH, L.A., LANDER, J.E. “belt-Aided Lifting Weight”. Advances in Industrial Ergonomics and Safety III 1991; 217-224

Resume um estudo que conclui que o uso de cintos abdominais lombares flexíveis durante tarefas de levantamento beneficia o corpo pela diminuição das atividades musculares e pelo alívio de forças na coluna.

 KNILL, B. “Back Belts Support Ergonomics”. material Handling Engineering April 1996

Proporciona uma visão geral dos cintos abdominais lombares no trabalho e os benefícios oferecidos pelos mesmos e treinamento. Esclarece a confusão de conceitos sobre o uso de cintos lombares: atrofia muscular e sensação de capacidade maior de levantamento. Também discute os cintos lombares rígidos versus flexíveis. Cintos rígidos: alto grau de pressão intra-abdominal; restringe o dobramento e alongamento. Cintos flexíveis: permitem flexibilidade e dobramento do corpo enquanto proporciona uma pressão intra-abdominal; conforto para o corpo.

LABAR, G. “Blind About Back Belts” Occupational Hazards February 1996

O artigo trata ambos os lados sobre o debate de cintos lombares, mas cita muitos exemplos sobre a maré favorável na direção do uso de cintos lombares. O autor discute muitos sucessos em ambientes clínicos e reais sobre o uso com treinamento de cintos suportes abdominais lombares.

MAGNUSSON, M., POPE, M. “Effect of back Support on Isometric Strenght”.1994

Resume um estudo sobre o aumento da estabilidade e melhoria na capacidade de levantamento com cintos lombares como reportados pelos trabalhadores. O estudo também sugere que os cintos lombares permitem maior levantamento na performance de tarefas usando menos força muscular. 

 MAGNUSSON, M., POPE, M., HANSSOLN, T. “Does a back Support have a Positive Biomechanical Effect? Applied Ergonomics June 1996

Resume um estudo sobre testes do efeito dos cintos lombares na força muscular e no carregamento do tronco. 

 MARRAS, W.S., GRANATA, K.P. “The Effects of Lifting Belts upon Trunk Motion, Trunk Muscle Activity and Spine Loading”. Presented at the 42th Annual Meeting, Orthopedic Research Society February 1996

Sumariza um estudo testando quatro condições sobre o uso de cintos: sem uso, uso de cintos de couro de levantamento de peso, cintos elásticos e cintos com dispositivo interno de pressão lombar. Este estudo sugere que cintos elásticos foram os mais favoráveis na redução da carga na coluna. A largura do cinto elástico é importante de maneira a juntar a região pélvica e região dorsal da coluna

 MILLION, R., NIELSEN, K., JAYSON, M., BAKER. R. “Evaluation of Low Back Pain and Assessment of Lumbar Corsets with and without Back Supports”. Annals of the Rheumatic Diseases 1981; 40: 449-454

Resume um estudo que examina o uso de espartilhos com e sem um cinto lombar. O estudo prova que suportes lombares não apenas aliviam as dores nas costas, mas também restringem o movimento da coluna lombar. 

 NACHEMSON, A., SCHULTZ, A., ANDERSON, G.B.J. “mechanical Effectiveness Studies of Lumbar Spine Orthosis”. Scandinavian Journal of Rehabilitation Medicine (Supply) 1983: 139-149.

Sumariza um estudo que reporta o uso de dispositivo ortopédico pode causar uma diminuição da carga provocando uma redução da pressão na coluna. 

WOODHOUSE, M.L., HEINEN, J.R.K., SHALL, L. BRAGG, K. Selected Isokinetic Lifting Parameters of Adult male Athletes Using Lumbar/Sacral Supports”. Journal of Orthopedics and Sports Physical Therapy 1990; 467-473

 Resume um estudo demonstrando que atletas que usam cintos abdominais lombares mostram uma maior média da força muscular bem como um aumento no pico da força de levantamento. 

SOBRE POSTURA/TÉCNICAS DE LEMBRAR UM LEVANTAMENTO CORRETAMENTE

BUNCH, R.W. “Back Support belts reduce back Injuries – Fact or Myth? Presented to the 1994 National Safety Congress

Informa as preocupações trazidas pelo relatório do NIOSH em 1994. Cobre os aspectos psicológicos (Não dependa dos cintos lombares para prevenir lesões da coluna) e os benefícios fisiológicos (ajuda a manter a coluna lombar na posição neutra) dos cintos lombares. Recomenda o uso de cintos lombares. 

DEVAHL, J. “Back Support Belts – They are Everywhere” Physical Therapy Products 1993; 16-17.

Este artigo detalha o sucesso do uso de cintos lombares em várias situações de trabalho em clínicas especializadas. Menciona dois importantes fatos: 1) um cinto lombar pode realmente proporcionar biofeedback para o seu usuário; 2) um cinto lombar não pode ser considerado um EPI, mas simplesmente uma ferramenta para ajudar a reduzir o risco e a severidade das lesões.

 BUNCH, R.W. “Fighting Back Injuries in Industry”

Discute a aplicação de uma série de técnicas para combater lesões na coluna. Inclui uma análise de 450 empregados da McDermott International que receberam cintos lombares e treinamento. Também inclui um estudo que demonstra que cintos lombares não afeta a percepção da capacidade de levantamento. 

GREER, D.A. “Back Belts and Ergonomics. Can a Happy Marriage Exist? Workplace Ergonomics January/February 1996

 Um pálido endosso sobre cintos abdominais lombares, mas uma argumentação muito forte sobre que eles não podem causar dano aos indivíduos que os usam. 

 HOLSTROM, E., MORITZ, U. Effects of Lumbar Belts on Trunk Muscle Strength and Endurance. A Follow Up Study of Construction Workers”. Journal of Spinal Disorders 1992; 260-266

 Sumariza um estudo onde pessoas reportam melhora na postura e posição enquanto usam flexíveis e rígidos cintos abdominais lombares. O estudo, também propõe que cintos lombares não causam enfraquecimento dos músculos do tronco nem diminuem sua capacidade.

 HOUNSELL, D. “Ensuring Worker Safety: The Backbone’s Connected to the Pocketbook”. Maintenance Solutions August 1994; 26-27

A importância da segurança entre os trabalhadores está aumentando. Produtos, enquanto oferecem proteção, devem ser também confortáveis o bastante para o usuário que querem usá-los. 25,3 bilhões de dólares foram gastos em 1991 apenas em tratamentos de lesões da coluna relacionados ao trabalho. Cintos Lombares são um dos muitos produtos usados como prevenção.

KNILL, B. “Back Belts Support Ergonomics”. Material Handling Engineering April 1996

 Proporciona uma visão geral dos cintos abdominais lombares no trabalho e os benefícios oferecidos pelos mesmos e treinamento. Esclarece a confusão de conceitos sobre o uso de cintos lombares: atrofia muscular e sensação de capacidade maior de levantamento. Também discute os cintos lombares rígidos versus flexíveis. Cintos rígidos: alto grau de pressão intra-abdominal; restringe o dobramento e alongamento. Cintos flexíveis: permitem flexibilidade e dobramento do corpo enquanto proporciona uma pressão intra-abdominal; conforto para o corpo.

 MAGNUSSON, M., POPE, M., WILDER, D. “Kinematic Changes in the Trunk caused by the Wearing of Industrial back Supports. Presented at the Spine Society Annual Meeting 1996

Resume um estudo que testa os efeitos do uso de cintos lombares versus não usá-los. O estudo propõe que um cinto abdominal lombar propicia estímulo/resposta como feedback e quando usados em conjunto com educação, podem reduzir as cargas na coluna. 

 SOBRE A HABILIDADE NA PERCEPÇÃO DA CAPACIDADE DE LEVANTAMENTO

BUNCH, R.W. “Fighting Back Injuries in Industry”

Discute a aplicação de uma série de técnicas para combater lesões na coluna. Inclui uma análise de 450 empregados da McDermott International que receberam cintos lombares e treinamento. Também inclui um estudo que demonstra que cintos lombares não afeta a percepção da capacidade de levantamento.

KNILL, B. “Back Belts Support Ergonomics”. Material Handling Engineering April 1996

Proporciona uma visão geral dos cintos abdominais lombares no trabalho e os benefícios oferecidos pelos mesmos e treinamento. Esclarece a confusão de conceitos sobre o uso de cintos lombares: atrofia muscular e sensação de capacidade maior de levantamento. Também discute os cintos lombares rígidos versus flexíveis. Cintos rígidos: alto grau de pressão intra-abdominal; restringe o dobramento e alongamento. Cintos flexíveis: permitem flexibilidade e dobramento do corpo enquanto proporciona uma pressão intra-abdominal; conforto para o corpo.

SOBRE QUE NÃO HÁ EFEITOS NEGATIVOS A SAÚDE

 ALEKSIEV, A., MAGNUSSON, M., POPE, M., COBLIN, E., LUOTO, S. Effects of back Support on Blood Pressure During Lifting. Presented at the International Society for the Study of the Lumbar Spine June 1996

Sumariza um estudo demonstrando que enquanto cintos abdominais lombares aumentam az pressão abdominal, eles não aumentar a pressão sanguínea.

SOBRE A IMPORTANCIA ENTRE CINTOS FLEXÍVEIS VERSUS RÍGIDOS

 KNILL, B. “Back Belts Support Ergonomics”. Material Handling Engineering April 1996

Proporciona uma visão geral dos cintos abdominais lombares no trabalho e os benefícios oferecidos pelos mesmos e treinamento. Esclarece a confusão de conceitos sobre o uso de cintos lombares: atrofia muscular e sensação de capacidade maior de levantamento. Também discute os cintos lombares rígidos versus flexíveis. Cintos rígidos: alto grau de pressão intra-abdominal; restringe o dobramento e alongamento. Cintos flexíveis: permitem flexibilidade e dobramento do corpo enquanto proporciona uma pressão intra-abdominal; conforto para o corpo.

 MARRAS, W.S., GRANATA, K.P. “The Effects of Lifting Belts upon Trunk Motion, Trunk Muscle Activity and Spine Loading”. Presented at the 42th Annual Meeting, Orthopedic Research Society February 1996

Sumariza um estudo testando quatro condições sobre o uso de cintos: sem uso, uso de cintos de couro de levantamento de peso, cintos elásticos e cintos com dispositivo interno de pressão lombar. Este estudo sugere que cintos elásticos foram os mais favoráveis na redução da carga na coluna. A largura do cinto elástico é importante de maneira a juntar a região pélvica e região dorsal da coluna.

 MITCHELL, L.V., LAWLER, F.H., BOWEN, D., MOTE, W., ASUNDI, P., PURSWELL, J. “Effectiveness and Cost Effectiveness of Employer-Issued Back Belts in Areas of High Risk for Back Injury”. Journal of Occupacional Medicine 1994; 90-94

Sumariza um estudo demonstrando que os cintos lombares substancialmente reduzem o número de dias perdidos devido a lesões da coluna e sugere o uso de cintos lombares para reduzir a severidade das lesões. Também compara o uso de cintos lombares rígidos e flexíveis.

SOBRE A IMPORTANCIA DA TENSÃO DOS CINTOS

BOWEN, D.J., PURSWELL, J.L., SCHLEGEL, R.E., PURSWELL, J.P. “Preferred Tension and Psychophysical Lifting Limits with and without Back Belts.” Advances in Industrial Ergonomics and Safety VII June 1995

Resume um estudo sugerindo que o estudo NIOSH bem como outros estudos, pode ter sido afetado por falhas ao incluir cintos lombares como parte dos estudos. O estudo mostra que aqueles que ajustam seus flexíveis e elásticos suportes a tensão que os usuários escolhem tem uma capacidade maior de levantamento do que aqueles que vestem um cinto com uma mínima tensão ou aqueles que não usam um cinto ““.

BIBLIOGRAFIA GERAL

ALLEN, S.K. WILDER, K ” Back Belts Pay Off for Nurses”. Occupational Health & Safety, January 1996

ASSUNDI, P., PURSWELL, J., BOWEN, D. “Evaluation of Back Belts in the Prevention of Manual Material Handling Injuries”. Presented at Ohio State University 1993

BUNCH, R.W. “Fighting Back Injuries in Industry”

DEVAHL, J. “Back Support Belts – They are Everywhere” Physical Therapy Products 1993; 16-17.

“First In-Depth Study Proves Back Support Belt Benefits”. material Handling Engineering 1997; 47-52

GENAIDY, A.M., SIMMONS, R.J. “Can Back Supports relieve the Load on the Lumbar Spine for Employees Engaged in Industrial Operations?” Ergonomics 1995; 38(5): 996-1010

HOUNSELL, D. “Ensuring Worker Safety: The Backbone’s Connected to the Pocketbook”. Maintenance Solutions August 1994; 26-27

KRAUS, J.F., BROWN, K.A., MCARTHUR, D.L., PEEK, C., SAMANIEGO, L., KRAUS, C., ZHOU, L. “Reduction of Acute Low Back Injuries by Use of Back Supports”. International Journal of Occupational and Environmental Health 1996; 263-273

LABAR, G. “Blind About Back Belts” Occupational Hazards February 1996

LABAR, G. “UCLA Study Supports back belt Use”. Occupational Hazards December 1996; 7

MITCHELL, L.V., LAWLER, F.H., BOWEN, D., MOTE, W., ASUNDI, P., PURSWELL, J. “Effectiveness and Cost Effectiveness of Employer-Issued Back Belts in Areas of High Risk for Back Injury”. Journal of Occupacional Medicine 1994; 90-94

RUNDLE, R.L. “Back Supports Receive Support in UCLA Study”. The Wall Street Journal October 9, 1996

THOMPSON, L., PATI A.B., DAVIDSON, H., HIRSH, D. “Attitudes and back Belts in the Workplace”. 1994; 22-27

UDO.”The Effect of a Preventative Belt on the Incidence of Low Back Pain, Part II. Investigation in Rice-Carrying Work”. Presented at the Japan Industrial Hygiene Society 1991

UDO. “The Effect of Preventative Belt on the Incidence of Low Back Pain, Part III. Discussion on Crane Work. Presented at the 65th Japan Industrial Hygiene Society. 1992

WALSH, N.E., SCHWARTZ, R.K. “The Influence of Prophylactic Orthosis on Abdominal Strength and Low Back Injury in the Workplace”. Am J Phys Med Rehab 1990;(69): 245-250.

BOWEN, D.J., PURSWELL, J.L., SCHLEGEL, R.E., PURSWELL, J.P. “Preferred Tension and Psychophysical Lifting Limits with and without Back Belts.” Advances in Industrial Ergonomics and safety VII June 1995

KNILL, B. “Back Belts Support Ergonomics”. material Handling Engineering April 1996

BUNCH, R.W. “Back Support belts reduce back Injuries – Fact or Myth? Presented to the 1994 National safety Congress

HILGEN, T.H., SMITH, L.A., LANDER, J.E. “belt-Aided Lifting Weight”. Advances in Industrial Ergonomics and safety III 1991; 217-224

MAGNUSSON, M., POPE, M. “Effect of back Support on Isometric Strenght”.1994

MAGNUSSON, M., POPE, M., HANSSOLN, T. “Does a back Support have a Positive Biomechanical Effect? Applied Ergonomics June 1996

MARRAS, W.S., GRANATA, K.P. “The Effects of Lifting Belts upon Trunk Motion, Trunk Muscle Activity and Spine Loading”. Presented at the 42th Annual Meeting, Orthopedic Research Society February 1996

MILLION, R., NIELSEN, K., JAYSON, M., BAKER. R. “Evaluation of Low Back Pain and Assessment of Lumbar Corsets with and without Back Supports”. Annals of the Rheumatic Diseases 1981; 40: 449-454

NACHEMSON, A., SCHULTZ, A., ANDERSON, G.B.J. “mechanical Effectiveness Studies of Lumbar Spine Orthosis”. Scandinavian Journal of Rehabilitation Medicine (Supply) 1983: 139-149.

WOODHOUSE, M.L., HEINEN, J.R.K., SHALL, L. BRAGG, K. Selected Isokinetic Lifting Parameters of Adult male Athletes Using Lumbar/Sacral Supports”. Journal of Orthopedics and Sports Physical Therapy 1990; 467-473

BUNCH, R.W. “Fighting Back Injuries in Industry”

GREER, D.A. “Back Belts and Ergonomics. Can a Happy Marriage Exist? Workplace Ergonomics January/February 1996

HOLSTROM, E., MORITZ, U. Effects of Lumbar Belts on Trunk Muscle Strength and Endurance. A Follow Up Study of Construction Workers”. Journal of Spinal Disorders 1992; 260-266

MAGNUSSON, M., POPE, M., WILDER, D. “Kinematic Changes in the Trunk caused by the Wearing of Industrial back Supports. Presented at the Spine Society Annual Meeting 1996

ALEKSIEV, A., MAGNUSSON, M., POPE, M., COBLIN, E., LUOTO, S. Effects of back Support on Blood Pressure During Lifting. Presented at the International Society for the Study of the Lumbar Spine June 1996

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *