Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Cadeiras e mesas ergonômicas para crianças – a Ergonomia do DIA A DIA

Estamos mais uma vez voltados a ERGONOMIA DE CADA DIA!

É uma ERGONOMIA GLOBAL, HOLÍSTICA, complementar á ERGONOMIA  focada no cumprimento da NR17.

Cada vez mais, a Ergonomia está presente na vida de todos e o que mais importante senão cuidar da Ergonomia de nossas crianças?

Com a pandemia universal instalada, torna-se primordial o entendimento completo da importância da ERGONOMIA para a qualidade de vida das nossas crianças…

O KIT HOME SCHOOL que estamos desenvolvendo, contempla todos os aspectos importantes a serem observados. Treinamentos e esclarecimentos serão trazidos em vídeos para melhor compreensão da importância desse momento…AINDA ESTAMOS COMPLETANDO…

Esse conteúdo abaixo é muito interessante e faz parte do Manual descritivo para aquisição de material escolar (2013), que divulgamos e pode ser baixado caso alguém necessite.

Ressaltamos aqui a importância de todos os parâmetros elencados no quesito ERGONOMIA tais como iluminação, temperatura, umidade do ar, pausas, implantação dos pés, alongamento, estresse (ergonomia cognitiva), entre outros que devem ser avaliados, estudados e respeitados….

BOA LEITURA!

O dimensionamento do mobiliário infantil pode ser uma variável considerada importante para a segurança, saúde e bem-estar da criança, bem como do usuário e/ou manipulador. Durante o manuseio das crianças, o usuário assume várias posturas e realiza movimentos de deslocamento de peso que podem prejudicar sua integridade física. O papel da Ergonomia é verificar a usabilidade de produtos e sua relação com o usuário, a fim de proporcionar um maior bem-estar ao mesmo.

Segundo estatística internacional é no ambiente doméstico que a maior parte dos acidentes ocorre, muitas tarefas são executadas em posturas inadequadas com curvatura dorsal podendo provocar dores lombares e trabalho estático por longos períodos. Além disso, os móveis infantis não fogem a esta regra e podem apresentar componentes de risco, como quinas vivas, gavetas dispostas em escadas, puxadores pontiagudos e mobiliários com base instável, sujeitos a despencar sobre a criança. Buscando corrigir eventuais falhas na elaboração de projetos torna-se necessário planejar o produto proporcionando principalmente ao usuário atendimento das suas necessidades e conseqüentemente, equipamentos mais confortáveis, que proporcionarão menor gasto físico e mental durante o trabalho.

Os produtos ergonomicamente projetados devem permitir o seu uso por pessoas dos mais diversos níveis culturais, idades, capacidades física e mental, tamanho do corpo, força física, mobilidade, habilidades lingüísticas bem como paciência.

Esses produtos não deverão funcionar apenas, quando usado por pessoas treinadas e em situações controladas, mas também no dia-a-dia, onde o uso será realizado por diferentes pessoas nas mais diversas situações. Entretanto quando se desenvolve um produto, verifica-se que é dada pouca importância às características do operador, podendo este fato ocasionar conseqüências negativas, tanto no aspecto físico como psicológico para o mesmo.

Na escolha destes materiais, devem ser considerados os seguintes tópicos:

  • Qualidade técnica: Considera-se a eficiência com que o produto executa sua função, a facilidade de manutenção e limpeza entre outros fatores;
  • Qualidade ergonômica: Inclui a facilidade de manuseio, a adaptação antropométrica, o fornecimento claro de informações, as compatibilidades de movimentos e demais itens de conforto e segurança;
  • Qualidade estética: Envolve a combinação de formas, cores, uso de materiais, textura para que os produtos sejam visivelmente agradáveis e outros

Esse conteúdo faz parte do Manual descritivo para aquisição de material escolar (2013)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *