Bem vindo ao mundo mágico da ERGONOMIA

 
PAGINA INICIAL
QUEM SOMOS
O QUE É ERGONOMIA
NOSSOS PRODUTOS E SERVIÇOS
CATÁLOGOS DE NOSSOS PRODUTOS
1- ACESSÓRIOS AUTO ILUMINADOS
2- APOIO ERGONÔMICO PARA MOUSE E TECLADO
3- APOIO PARA OS PÉS
4- BANCOS ERGONÔMICOS
5- CADEIRAS ERGONÔMICAS
6- CINTOS ABDOMINAIS LOMBARES
8- MESAS E BANCADAS ERGONÔMICAS
7- ESTAÇÕES E POSTOS DE TRABALHO
9- TAPETES ANTI FADIGA E ESTRADOS
10- SUPORTES ERGONÔMICOS
11- PRODUTOS ANTI- ESTÁTICOS
12- CALÇADOS ESPECIAIS
GINÁSTICAS E PREVENÇÃO
VIDEOTECA
ARQUIVOS PARA DOWNLOAD
ERGONEWS - Brasil
PROMOÇÕES ESPECIAIS
NOTÍCIAS
IMPRENSA
BATE PAPO COM NOSSA EQUIPE TÉCNICA
ARTIGO DA SEMANA
ARTIGOS E MATERIAL TÉCNICO
CONTATO
 

 

ESTUDOS DE CASOS DE USO DO CINTO LOMBAR


ESTUDOS DE CASOS
Trabalho científico:
Quando as empresas se importam de verdade - Fatos sobre Lesões de Coluna & Guia de Avaliação de Necessidades sobre o uso de cintos abdominais flexíveis ( de Lycra ) e com interno dispositivo anti derrapante (para não lesionar o fígado e o baço).



TRABALHOS EM CAMPO:



IMPORTANTE: ESTES CASOS FORAM ESTUDADOS COM OS CINTOS DE FABRICAÇÃO APROVADA COMO A MARCA COLOR FLEX
Quem não conhece detalhes do projeto, fabricação, materiais e controle de qualidade deste produto, recomendamos ler artigo neste site: "Como comparar cintos lombares: Eles são parecidos mas não iguais"


Índice deste trabalho:

1-Resumo

2-Fatos sobre a Coluna
 
3-Empresas que se preocupam de verdade... Casos de Estudos:
-Caso Estudo No 01: Cadeia Nacional de Lojas de Varejo
-Caso Estudo No 02: Empresa Engarrafadora
-Caso Estudo No 03: Empreiteira de Construção Internacional
-Caso Estudo No 04: Hospital
-Vaso Estudo No 05: Cadeia Nacional de Lojas de Ferragem e Materiais de Construções
-Caso Estudo No 06: Cadeia de Super Mercados
-Caso Estudo No 07: Empresa de Armazenagem e Distribuidora de Alimentos

4-Sua Empresa 
 
5-Conclusão

6-Bibliografia

1- Resumo
 
Lesão de Coluna: A lesão ocupacional mais comum.
 
No ano passado, trinta e um milhões de cidadãos norte americanos sofreram lesões de coluna resultantes de atividades profissionais, sendo essas lesões responsáveis por 33 por cento de todas as despesas com Indenizações Ocupacionais.
Para minimizar o problema, muitas empresas instituíram uma gama de abordagens que vão desde o uso de cintos suporte abdominais lombares, também conhecidos por cintos lombares, programas de exercício e de flexibilidade, a cursos e programas educacionais especializados. 

NIOSH & OSHA
Organizações como NIOSH (National Institute for Occupational Safety and Health) e OSHA (Occupational Safety Health Administration) ainda continuam a estudar as evidencias cientíificas sobre os benefícios dos cintos lombares. 
Se empregada isoladamente, a orientação educacional não é eficaz.
O que sabemos é que as empresas que apenas instituem programas estritamente preventivos ou educacionais sobre lesões de coluna (sem a adoção de cintos lombares) não constatam nem redução no tempo de afastamento e nem redução nas despesas relacionadas com lesões de coluna no local de trabalho (1). 
Se empregado isoladamente, cintos suporte abdominais lombares não são eficazes.
Também sabemos que as empresas que instituem apenas os programas de uso de cintos lombares (sem complementação através de programa detalhado de segurança) não constatam reduções significativas na ocorrência de lesões de coluna (2). 
A adoção de cintos lombares em conjunto com a orientação educacional e o compromisso gerencial produz bons resultados.
Entretanto, muitas empresas chegaram a dados incontestáveis confirmando que um programa detalhado de segurança da coluna, que inclua o uso obrigatório de cintos lombares, orientação educacional e um forte empenho gerencial, produz uma redução drástica na incidência, despesas conseqüentes e tempo de afastamento associados com as lesões ocupacionais de coluna. Essas mesmas empresas constataram uma redução dramática tanto nas lesões ocorridas quanto nos pedidos de indenização; e a economia resultante chega a ser impressionante. 

Você e a qualidade de vida dos seus associados
Se os seus funcionários experimentarem uma diminuição na quantidade de lesões de coluna, e os pedidos de indenizações trabalhistas e cíveis a elas associados sofrerem uma redução drástica, e sua produtividade tenderá a crescer, neste caso, VOCÊ ESTARÁ SE IMPORTANDO REALMENTE COM SUA EMPRESA!!!
Os " cases " sobre estudos apresentados neste trabalho, representam uma pequena amostra das centenas de empresas que reduziram suas despesas ocupacionais por acidentes e melhoraram a produtividade de seus trabalhadores após a implantação de um programa de prevenção de acidentes de coluna em associação ao uso dos Cintos Abdominais Lombares.    
                            
2- Fatos sobre a Coluna   

A presente monografia fornece alguns fatos sobre lesões ocupacionais de coluna, apresenta sete casos de estudos e oferece parâmetros de comparação para cálculos do risco e da economia por outras empresas. 
Lesões na Coluna:
 
Cerca 80 a 90 por cento de todos os cidadãos norte americanos sofrerá algum tipo de lesão de coluna no decorrer de suas vidas. As lesões de coluna respondem por 25 por cento do total de dias de trabalho perdidos e geram anualmente uma despesa médica em torno de 20 a 30 bilhões de dólares e de 40 a 60 bilhões de dólares em despesas indiretas (afastamento do emprego, atendimento aos filhos, incapacidade, etc.)(3).
No ano de 1990, o valor médio per capita das despesas de indenização e das despesas médicas associadas com reclamações, por tempo de afastamento profissional devido a lesões de coluna foi de $24.080 dólares (4).

TC = DM + IE + PC

onde:
TC = Custo Total
DM = Despesas Médicas Diretas 
IE = Despesas indiretas
PC = Custo psicológico

Como mostra o gráfico cima, os casos de lesões de coluna foram responsáveis por um quarto de todos os casos das Indenizações Ocupacionais e esses casos foram significativamente mais dispendiosos, representando 33 por cento do total de despesas (5).
Base: total de funcionários de 1993 = 94.789.444

1/3 da força de trabalho sofre de problemas de coluna
Número de estabelecimentos = 6.403.367
Custo médio da lesão de coluna = $24.080
Média de trabalhadores por estabelecimento = 15 
(Estatísticas da OSHA, 1995)  

De 1980 em diante, o custo das lesões da coluna lombar aumentou cerca de 2.700 por cento. Além disso, um em cada três trabalhadores provavelmente sofrerá de algum tipo de problema de coluna a um custo médio de $120.400 por empresa, nos Estados Unidos. 
O risco de lesão de coluna varia de acordo com o tipo de atividade e a natureza da ocupação em cada atividade. Por exemplo, para o trabalhador que se ocupa do manuseio de materiais, a probabilidade do mesmo sofrer uma lesão de coluna é cinco e meia vezes maior do que para o trabalhador comum.
Fonte dos gráficos: adaptado do Bureau of Labor Statistics (1995) Lesões e Doenças Ocupacionais: Contagens, Taxas e Características, 1992 Calculado em relação ao percentual associado com cada ocupação dividido pelo percentual de horas trabalhadas.  Uma taxa de valor superior a 1 indicará um risco superior ao da média;  um valor inferior a 1 indicará um risco inferior ao da média.

Incapacidade 
O crescimento da quantidade de casos de incapacidade em decorrência de lesões na coluna lombar é 14 vezes maior do que o crescimento populacional. O paciente típico de lombalgias fará 20 visitas ao consultório médico durante seu tratamento.
Dez por cento desses pacientes necessitará de 3 meses de terapia; cinco por cento apresentará algum tipo de incapacidade e cinco por cento padecerá de sintomas crônicos que levam à incapacidade total (6). 

Gráfico: Na Carolina do Norte - EUA, cada adulto desembolsa o equivalente a $63 dólares por ano no tratamento de dores crônicas de coluna 
Em 1992 foram realizadas nos Estados Unidos 300 mil cirurgias de coluna vertebral e de disco. Houve um aumento de 23 por cento em apenas dois anos. 
O custo médio de uma cirurgia de coluna vertebra, nos EUA, l gira em torno de 15 mil dólares. O tratamento das lesões por conta da Previdência Social é 10 vezes mais demorado e custa quase seis vezes mais do que aquele que é realizado fora do sistema previdenciário. 
Apenas 5 por cento das lesões de coluna tem a condição crônica, contudo, essas lesões são responsáveis por 60 a 80 por cento do total de despesas associadas com lesão de coluna vertebral.(7)


3- Empresas que se preocupam de verdade... Casos de Estudos: 


Caso Estudo Nº 1: Cadeia Nacional de Lojas de Varejo



O primeiro caso de estudo diz respeito a uma das mais prósperas empresas varejistas dos EUA. Essa empresa possui cerca de 400 lojas e 11 instalações de distribuição através dos Estados Unidos. Seu programa de prevenção de acidentes de coluna vertebral é bastante abrangente:

-Uso obrigatório de cintos suporte abdominais lombares 
-Treinamento no uso de cintos lombares e técnicas adequadas para o levantamento de peso 
-Orientação educacional sobre a anatomia da coluna vertebral 
-Técnicas de alongamento e de flexão 
-Incentivos 

Manuais de instrução, filmes em vídeo e cartazes são utilizados durante o treinamento, sendo o programa rigorosamente encorajado pela direção da empresa.
Ao iniciar seu programa em 1990, a empresa contava com 31 mil funcionários.
Ao término do estudo em 1994, a quantidade de trabalhadores aumentou para quase 70 mil indivíduos.

O gráfico a seguir demonstra que, após a implantação do programa de uso dos cintos suporte abdominais lombares, o número de ocorrências por trabalhador e o custo das indenizações por ocorrência apresentaram uma redução drástica.



Custo para a empresa 1


O custo total do programa para essa empresa varejista em 1994 foi de aproximadamente 4,4 milhões de dólares -- inclusive todos os custos de indenizações e os custos do programa de implantação (cintos lombares, materiais e horas de treinamento, etc.).
Os dados ao lado indicam que sem um programa abrangente de prevenção contra ocorrências de coluna vertebral, as indenizações trabalhistas atingiriam cerca de $9 milhões (supondo-se que a quantidade de acidentes por funcionário permanecesse constante, na mesma taxa do ano de 1990).

Caso consideremos os índices de crescimento das despesas com lesões de coluna, as indenizações trabalhistas chegariam a $9,9 milhões de dólares.


Caso Estudo Nº 2: Empresa Engarrafadora


O segundo caso estudo diz respeito a uma engarrafadora regional de um dos maiores fabricantes de bebidas dos EUA com duas unidades de produção e 28 centros de distribuição. A empresa acima implantou um programa obrigatório e abrangente de uso de cintos suporte abdominais lombares. O programa compreendeu: 

- Uso obrigatório de cintos lombares e 
- Monitores de treinamento terceirizados, cuja função era ensinar anatomia, técnicas adequadas de levantamento de peso, exercícios e uso correto dos cintos lombares.
 
Quando o programa foi iniciado em 1991, a empresa engarrafadora possuía 1055 funcionários; atualmente, a mesma emprega 1260 colaboradores.

O gráfico abaixo , mostra que apesar de a quantidade de empregados ter aumentado 16 por cento, o custo total das indenizações reduziu-se em 61 por cento. 



CASO ESTUDO Nº3: Empreiteira de Construção Internacional




O terceiro caso diz respeito a um estudo interno de um programa de prevenção de acidentes de coluna vertebral conduzido por uma das maiores empreiteiras de construção internacional nos EUA . O programa de quatro pontos, para a prevenção de acidentes de coluna vertebral, foi iniciado em 1991 e compreendeu: 

- Orientação ao trabalhador 
- Exercícios diários de alongamento 
- Instrução permanente e 
- Programa obrigatório de uso do cinto suporte abdominal lombar 

O estudo compreendeu os três anos imediatamente anteriores ao início do programa e os três anos imediatamente posteriores à sua implantação.

Como ilustra o gráfico, a quantidade de cada indenização por acidente de coluna reduziu em 33 por cento, sendo que o custo total do conjunto das indenizações por acidente de coluna teve uma redução de 55 por cento.

O programa de prevenção contra lesões de coluna vertebral foi responsável pela economia de, literalmente, milhões de dólares para a companhia.  (8) Occupational Health and Safety, "Back Belts Pay Off for Nurses," January, 1996. (9) Bureau of Labor Statistics, Occupational Injuries and Illnesses: Counts, Rates and Characteristics, 1995. (10) Occupational Health and Safety, "Back Belts Pay Off fro Nurses," January, 1996.



Caso Estudo Nº 4 : Hospital


A atividade de enfermagem perde somente para a de manuseio de materiais, com relação à incidência de lesões de coluna.

Este caso representa um estudo de prazo relativamente curto, de funcionários em enfermagem de um hospital.

Um ou uma enfermeira de um hospital levanta e coloca no leito 20 pacientes, além de ajudar na transferência de 5 a 10 pacientes do leito para a cadeira durante cada turno(8).
Conseqüentemente, o profissional de enfermagem, apresenta uma tendência quatro vezes maior de vir a sofrer lesão de coluna do que a maioria das outras atividades(9).

O objetivo do presente caso de estudo foi determinar a eficácia de um programa abrangente de prevenção contra acidentes de coluna vertebral (inclusive uso de cintos lombares e treinamento).

O estudo foi realizado em 1994 e acompanhou 47 funcionários por um período de seis meses. Vinte e quatro funcionários de enfermagem constituíram o grupo de controle, não recebendo treinamento em prevenção contra acidentes de coluna vertebral ou usando qualquer tipo de cinto lombar, enquanto que 23 funcionários constituíram o grupo experimental, participando do programa de prevenção contra acidentes de coluna vertebral.



Caso Estudo Nº 5 Cadeia Nacional de Lojas de vendas de materiais de ferragens e Hobby.


Este caso estudo diz respeito a uma das mais importantes cadeias nacionais de lojas que comercializam materais de construção, ferragens, ferramentas e materiais "Faça Você Mesmo" ( Home Store ) com cerca de 2.100 estabelecimentos. O programa de prevenção contra acidentes de coluna vertebral compreendeu:

 - Uso de cintos suportes abdominais lombares 
 - Orientação sobre técnicas de adequadas para o levantamento de peso 
 - Treinamento no uso dos cintos lombares 
 - Equipamento para manuseio de materiais e 
 - Projeto ergonômico para o ambiente de trabalho 

Como mostra a ilustração a seguir, por volta de 1994 (após um ano de programa) o total de indenizações por lesões de coluna reduziu em 34 por cento.

A taxa de ocorrência de acidentes diminuiu em mais de 21 por cento ( a despeito de um aumento de 1,5 milhões nas horas de trabalho).

O custo por indenização também reduziu significativamente em mais de 26 por cento (de $833,94 para $603,40).



Caso Estudo Nº 6:Cadeia de Super Mercados


O caso estudo número 6 diz respeito a uma importante Cadeia de Super Mercados com 100 estabelecimentos, oito estabelecimentos de processamento e dois centros de distribuição. Em 1991, essa empresa implantou um programa abrangente de prevenção contra acidentes de coluna vertebral que compreendeu: treinamento formal, incentivos e uso obrigatório de cintos lombares abdominais lombares.
Por ocasião do início do programa, a empresa possuía 10 mil funcionários; quatro anos depois, o número de funcionários atingiu a marca dos 20 mil (as mulheres representavam cerca de 60 por cento do total).

O gráfico a seguir, mostra uma redução de 62 na taxa de ocorrência de lesões de coluna e, conseqüentemente, uma economia líquida de $2.7 milhões em indenizações por acidentes, tempo de trabalho perdido e prêmios de seguro durante o período de quatro anos.  



Caso Estudo Nº 7 Empresa de Armazenagem e Distribuidora de Alimentos


Nosso último caso estudo diz respeito a uma importante empresa de armazenagem e distribuição de alimentos.

Historicamente, as lesões de coluna nessa empresa respondiam por cerca de 50 por cento do total das lesões ocupacionais ali ocorridas e por 80 por cento das despesas com indenizações.

Em 1991, a empresa implantou um programa abrangente de prevenção contra acidentes de coluna vertebral em 30 locais com a participação de 4.500 funcionários.
O programa compreendeu orientação educacional e uso obrigatório de cintos suporte abdominais lombares.
Como mostra o gráfico abaixo, por volta de 1992, essa empresa teve uma redução de 58 por cento em tempo de trabalho perdido em decorrência de lesões relacionadas com a coluna vertebral uma redução de 52 por cento na taxa de incidência das mesmas.



Finalizando:


home
4 - Sua Empresa:

Sua Empresa Necessita de um Programa de Prevenção Contra Acidentes de Coluna? 

Sua empresa poderá ser semelhante a aquelas mencionadas nos casos anteriores ou poderá engajar-se nas atividades apresentadas no Gráfico Decisório acima.
Plote sua experiência em um dos gráficos anteriores e verifique a situação de sua empresa.
Considere a parcela de economia de despesas que sua empresa teria, se implantasse um programa detalhado de prevenção contra acidentes de coluna vertebral.
Considere, acima de tudo, o benefício que a redução da taxa de incidência dessas lesões traria a seus funcionários.

O gráfico decisório apresentado acima lhe ajudará a definir os critérios que determinarão se sua empresa necessita de um programa de prevenção contra acidentes de coluna vertebral. 

Faça os cálculos
Pode-se calcular o impacto de várias maneiras. O modo mais simples é a análise de seu total de despesas com lesões de coluna e a economia alcançada através da adoção de um programa de prevenção contra acidentes de coluna vertebral:

Determine o total de despesas com indenizações referentes a lesões de coluna para o ano imediatamente anterior ao corrente (total de lesões de coluna X despesas com indenizações referentes a lesões de coluna) 
Determine o potencial de despesas que trará um programa de prevenção contra acidentes de coluna vertebral (material educacional, cintos suporte abdominais lombares, acompanhamento, etc.) e adicione o mesmo à sua estimativa de despesas com indenizações (custo atual da indenização - economia estimada) 
Subtraia os dois totais para determinar a economia estimada para a sua empresa.


5- Conclusão

O Programa de prevenção contra acidentes de coluna vertebral funciona!
Um Programa completo de prevenção contra acidentes de coluna vertebral funciona!
O resultado vem sob a forma de uma força de trabalho mais saudável e mais motivada.

Programas educacionais aliados ao uso obrigatório de cintos lombares e ao empenho da diretoria da empresa trazem reduções significativas nas despesas com indenizações , prêmios de seguros (nos EUA há este tipo de seguro) e dias de trabalho perdidos.

Calculando em relação ao percentual associado com cada ocupação dividido pelopercentual de horas trabalhadas.
Uma taxa de valor superior a 1 indicará um risco superior ao da média; um valor inferior a 1 indicará um risco inferior ao da média

Fonte dos Graficos: adaptado do Bureau of Labor Statistics(1995)
Lesões e Doenças Ocupacional: Contagens, Taxas e Caracerísticas, 1992


6- Bibliografia:

-Brown et al., "Cost Effectiveness of a Back School Intervention for Municipal Employees," Spine, 17:10, 1224-28.
-Walsh, et al., "The Influence of Prophylactic Orthoses on Abdominal Strength and Low Back Injury in the Workplace," American Journal of Physical Medicine and Rehabilitation, 69:5, 245-50.
-"Cost of Lower Back Pain Prevention," presented by Dr. Cats-Baril, Ph.D., Low Back Pain Prevention, Control, and Treatment Symposium, St. Louis, Mo., 1996.
-Hoskin, A.F. (ed.), Accident Facts, (Itasca, IL: National Safety Council, 1993).
-National Safety Council, Accident Facts, (Itasca, IL:, 1995).
-"Cost of Lower Back Pain Prevention," presented by Dr. Cats-Baril, Ph.D., Low Back Pain Prevention, Control, and Treatment Symposium, St. Louis, Mo., 1996.
-Occupational Health and Safety, "Back Belts Pay Off for Nurses," January, 1996.
-Bureau of Labor Statistics, Occupational Injuries and Illnesses: Counts, Rates and Characteristics, 1995.
-Occupational Health and Safety, "Back Belts Pay Off fro Nurses," January, 1996.
-Holmstrom and Moritz, "Effects of Lumbar Belts on Trunk Muscle Endurance: A Follow-up Study of Construction Workers," Spinal Disorders, 1992, 5:260-66.
-Hunter et al. "The Effects of a Weight Training Belt on Blood Pressure During Exercise. Applied Sports Science Research, 1989, 3(1): 13-18.
-Lance, et al, "Lumbar Spine Orthosis Wearing: Effect on Trunk Muscle Myoelectric Activity," Spine, 1986:11 (8): 838-42.


 
ATENDIMENTO ONLINE

 

GOLDEN SEAT - PROMOÇÃO
O tradicional Golden Seat mudou...O design do Golden Seat mudou e quem ganha é o cliente ao adquirir as últimas peças da linha....
 

LANÇAMENTO - CADEIRA ATELIÊ
Cadeira Ergonômica para escritório - Linha Golden Premium - modelo ATELIÊ
 

faça suas compras e utilize seu cartão BNDES - fale conosco
 

PRIMEIRA CADEIRA BRASILEIRA
PROJETO ESPECIAL BrasGolden - SAÚDE - Primeira cadeira especial para Biopsia Mamária. Engenharia, sanitária e funcional adequada ás necessidades da paciente.
 

CADEIRA PARA COSTUREIRA
Vamos tirar suas dúvidas sobre CADEIRAS DE COSTUREIRAS - entre e veja...
 

CONHEÇA NOSSA LINHA
Entre e conheça toda nossa linha de Cadeiras Ergonômicas para pesos especiais
 

Linha de Bancos Especiais
Entre e conheça nossos bancos especiais
 

KIT ERGOPET
Veja a importância da Ergonomia nos PET-SHOPS
 

CADEIRAS PARA CHECK OUTS
Adeque seu check out com o Anexo I da NR17
 

Mobiliário para escritórios
mais detalhes...
 

Cadeiras em PU -WDA
Cadeiras inteiramente em poliuretano Integral Skin com ou sem braços, varios mecanismos, várias alturas - veja todas as especificações
 

SINALIZAÇÃO ULTIMA GERAÇÃO

BASTÕES ESPECIAIS COM UM ÚNICO LED COM FIBRA ÓPTICA

 

NR36 E ERGONOMIA EM PAUTA
As razões mais comuns apontadas pela CNTA Afins para o elevado índice de acidentes são a exposição a alterações bruscas de temperatura; a realização de movimentos repetitivos; e as jornadas exaustivas.
 

Pranchetas anti-pânico
saiba especificar sua cadeira
 

Produtos Anti Estáticos

 

COMPONENTES - BASES
Conheça nossas Bases:Pequenas, maiores, de nylon, de aço carbono, aço inox, de aluminio.
 

COMPONENTES - MECANISMOS
Entre e escolha o mecanismo ideal para sua necessidade
 

COMPONENTES: RODIZIOS E PÉS
entre e conheça nossa linha de rodízios, pés, sapatas e deslizadores a sua disposição
 

GINÁSTICA DO GATO

 

ASE - EMPRESA SUSTENTÁVEL
SAIBA QUAIS OS NOSSOS PRECEITOS DE SUSTENTABILIDADE
 

REVISTA NEI
Leia: Mesas e bancadas de alturas reguláveis, atendendo ao anexo II da NR17
Nossas mesas e bancadas foram selecionados pelos consultores técnicos da Revista NEI.
 

NOSSO BATE - PAPO!
Espaço criado para integração e interação - leia, participe e tire suas dúvidas...

VAMOS COMPARTILHAR NOSSAS EXPERIÊNCIAS!

 

Notícias Gerais
Nosso engenheiro agora recebe online estatísicas ocupacionais dos EUA para nossos estudos. Leia em notícias....
 

NOSSO DIFERENCIAL
Conheça nossos diferenciais!
 

GALERIA DE VÍDEOS
Entre e veja nossa Galeria de Vídeos
 

ASE - Sustainability
For full detail click here
 

ARTIGOS DE ERGONOMIA
LEIA ESTES ARTIGOS POIS ERGONOMIA É CONSCIENTIZAÇÃO
 

FAZEMOS PARTE DA CMQV
Conheça nossos serviços, cursos e projetos
 

Acesse nosso Facebook

 

ÉTICA - UM PRINCÍPIO SEM FIM
A BRASGOLDEN - MUNDOERGONOMIA - EMPRESA CIDADÃ - faz parte desse princípio que não pode ter fim!
 

Nenhum item em seu carrinho de compras.

 

Clientes
Login:
Senha: 
Esqueceu a Senha ?
 

Informações
Desejo receber informações e novidades por e-mail.
Nome:
Email:
 


Copyright © 2017 Mundo Ergonomia. Todos os direitos reservados.
Website desenvolvido com tecnologia Super Modular